PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Encarando o sol, público lota Polo dos Queijos neste domingo, 9; veja galeria de fotos

O receio do Sol, já bastante forte por volta das 10h30min, fez com que boa parte dos presentes ao Polo dos Queijos procurasse um abrigo à sombra, por menor que fosse

Teresa Monteiro
09/02/2020 16:06:33
Reunindo um público mais adulto, o Polo dos Queijos deu seu pontapé inicial deste domingo, 9
Reunindo um público mais adulto, o Polo dos Queijos deu seu pontapé inicial deste domingo, 9 (Foto: Barbara Moira)

Reunindo um público mais adulto, o Polo dos Queijos deu seu pontapé inicial deste domingo, 9, com o show de Alê Elói, acompanhada da banda Os Alencarinos. “E é patenteado o nome, viu! Nem adianta copiar...”, tratou de avisar a cantora, que animou e colocou ainda mais quentura aos foliões com seu repertório.

O receio do Sol, já bastante forte por volta das 10h30min, fez com que boa parte dos presentes ao Polo dos Queijos (em referência ao tradicional local no Centro) procurasse um abrigo, por menor que fosse, à sombra. Sem árvores por perto, pelo menos no quarteirão onde foi montado o palco, o jeito foi procurar abrigo nos toldos ofertados pela própria Prefeitura (Secultfor).

Clássicos da axé music e alguns hits do rock e pop-rock nacional, a exemplo de Ivete Sangalo, Cidade Negra, Baby do Brasil e As Frenéticas, foram o ponto alto do show. Curtindo no meio do sol, o trio Ivanira, Paula e Ivana vendia, animadamente, adereços para o cabelo, R$ 10 qualquer modelo. “A gente vende sempre na época do Carnaval. É ela que faz e a gente vende”, apontava para a amiga.

A médica Edna Justa, por sua vez, foi curtir o Pré-Carnaval com a seguinte frase na blusa: “Quem deu, deu. Quem não deu, não Damares!”, em alusão à frase proferida pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do atual Governo Federal. “A realidade não é essa, né...”, argumentou. DJ Gomes e a banda Som da Lira encerraram a programação no local.

Gilvan Paiva, atual secretário da Cultura de Fortaleza (Secultfor), celebra o bom momento do evento. “É um Ciclo Carnavalesco que, para nós, alcançou uma dimensão muito maior do que nos últimos anos. Acho que a Cidade foi afunilando essa experiência com mais estrutura e mais investimentos e, hoje, são 12 polos na Cidade. E esses polos todos lotados”, garante.

E reforça: “Nós temos dito muito aos brincantes, aos artistas, pra gente respeitar os moradores, pra gente ter muita atenção de que a festa precisa encerrar nos horários combinados e que essa dispersão se dê da maneira mais tranquila possível pra que a gente possa fazer uma festa com muita paz, com muita alegria, que é a nossa marca”, conclui.

Clique na imagem para abrir a galeria