PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Imagem profissional no Carnaval: veja dicas de como não se prejudicar no trabalho após a folia

Consultores de RH alertam que é preciso ter cuidado com postagens em redes sociais durante os dias de folia

24/01/2020 14:58:55
"Veias de Fogo", do Carnaval do Inferno, competirá na Mostra Olhar do Ceará (Foto: Camila De Almeida)

A menos de um mês para o Carnaval, a alegria é justificada. Além do feriado, a expectativa pela diversão e folia para quem curte a data é certa. Nessa época, mostrar que está feliz, se divertindo com os amigos, viajando ou festejando o Carnaval nos bloquinhos pela cidade mesmo são coisas quase impossíveis de não se fazer em tempos de redes sociais.

Há quem seja mais reservado e não poste muita coisa, mas há quem gosta de registrar todos os detalhes. O problema é quando isso passa a afetar sua imagem profissional. Aliás, isso pode mesmo afetar?

Segundo a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos, Janete Bezerra, a resposta é sim. “Nós estamos sendo observados o tempo todo. As empresas olham as redes sociais de quem participa de processos seletivos ou de quem já está dentro”, alerta.

Pensando nisso, O POVO resolveu listar algumas dicas de como aproveitar a época de folia sem se prejudicar. Desde já, importante dizer que a receita é equilíbrio. Tem como se divertir e manter o emprego garantido. Confira!

>> Contagem regressiva para o Carnaval: confira dicas de como se preparar para a folia

> Cuidados nas fotos

Registros fotográficos são sempre incríveis, principalmente quando está com quem se gosta. No período do Carnaval, não é incomum ver a quantidade de fotos que as pessoas publicam nas redes sociais, principalmente no Instagram. Nesse quesito, Janete pede atenção para o conteúdo da foto, caso você esteja postando, e atenta para a importância de sua autorização, caso seja outra pessoa postando.

“Às vezes você coloca foto com cerveja na mão, de biquíni, beijando alguém…”, pondera a presidente. Não é que esse tipo de registro esteja proibido , mas é importante dosar, segundo ela. “Existe uma ansiedade muito grande em divulgar instantaneamente o que está fazendo. Mas, viva o momento presente”, orienta.

Um dica extra dada pela profissional é tirar as fotos ou fazer os vídeos, mas deixar guardados e só postar no dia seguinte, após uma espécie de “curadoria”. Com a mente calma, você pode avaliar o que vale ou não a pena ir para as redes sociais.

> Atenção com excesso de bebida

Essa dica é bem vinda para todos que vão curtir o Carnaval. Beber em excesso prejudica não só seu corpo, mas pode fazer com que você tenha comportamentos exagerados, dos quais você pode se arrepender no dia seguinte. “O comportamento deve ser vigilante e independentemente do cargo. Deve se ter atenção com excesso de bebida”, comenta Janete Bezerra.

Caso você tenha algum problema durante a festa, não hesite em chamar os amigos. Importante ter companhia nesses momentos. Não esqueça de manter hidratação em dia, bebendo bastante água.

> Cuide das pessoas com quem se relaciona

Segundo Janete, Carnaval é “um momento de construção e desconstrução de relacionamentos”. Isso quer dizer que, mesmo estando fora do ambiente de trabalho, não é impossível encontrar colegas durante a festa. Por isso, manter o respeito é sempre essencial. A dica é “agir naturalmente, sem exageros, mas sem se esconder”, caso encontre alguém por aí.

Se já estiver alterado por conta do álcool, evite um encontro inconveniente ou desconfortável. “Um aceno de mão já basta”, completa Janete. Além disso, sempre bom lembrar que cada um é responsável pelo que faz, a forma que age, com quem está. Não é elegante, muito menos profissional, comentar por aí o que seu colega de trabalho fez no Carnaval. Seja respeitoso.

> Bom senso, ponderação e calma é o que indicam os consultores de RH

Na ansiedade de divulgar imediatamente a foto tirada e publicar por impulso, pode-se pôr em risco o emprego por imagens ou atitudes que não estão de acordo com os valores da empresa. A atenção nas redes sociais deve ser redobrada, porque uma vez postada uma imagem que não colabora, algum estrago já estará concretizado. Aquela fotografia em uma posição estranha pode te deixar um tanto constrangido ao passar a semana da festa — lembra o gestor de carreiras Ricardo Machado.

Tanto faz se a empresa tiver um ambiente mais informal ou for mais tradicional. Para Wilma Dal Col, diretora do ManpowerGroup, a repercussão diante a uma postagem não tem relação se a companhia é moderna ou não, e sim em estar adequada com seu propósito, ambiente e projeto.

> Evitar os impulsos da descontração

“Como você quer que o mundo do trabalho e suas relações profissionais percebam você? Trata-se de uma coerência com aquilo que você tem de propósito para sua vida profissional”. diz Wilma. “As mensagem que você postará no universo das redes sociais é a mensagem que dirá ao ambiente quem você é. Hoje você pode estar em uma empresa que tem cultura mais arrojada, mas você pode buscar uma oportunidade futura em uma companhia com cultura menos aberta, aí os posts poderão ser resgatados”, salienta.

Para os líderes, a atenção deve ser ainda maior. Machado aconselha diretores, vice-presidentes e presidentes a evitarem os impulsos da descontração. Wilma concorda: “Não se trata de uma questão de certo ou errado, de bom ou ruim, é muito mais o que você busca para sua vida e o que você projeta”.

> Pessoas em cargos de liderança devem ter cuidado redobrado

Patrícia Santos, executiva de RH e fundadora da Empregueafro, salienta que o líder é um exemplo a ser seguido pelos outros funcionários. “Eles vão pensar: 'Se meu chefe postou uma foto assim, por que eu não posso postar?'”.

Outra fator de alerta é que, uma fantasia de mau gosto ou preconceituosa, neste momento de muita interação entre clientes, fornecedores e público, pode impactar diretamente a companhia, lembra Machado. “Imagine uma empresa que investe intensamente em comunicação social para transmitir à sociedade que é uma organização que atua respeitando as diferenças de gênero e raça, por exemplo. Essa companhia não gostaria que um de seus colaboradores tivesse sua imagem associada a um ato de preconceito em uma postagem numa rede social. Mesmo que a página em questão seja pessoal”, afirma Patrícia.

> E para quem está desempregado?

Para quem está fora do mercado de trabalho, a atenção tem que ser a mesma. Patrícia afirma que os recrutadores prestam atenção nas redes sociais e “stalkeiam” (algo como investigar) postagens antigas. “O desempregado tem que ter cuidado redobrado ao que posta, pois as redes sociais são muito vistas em processos seletivos. O profissional tem de entender que é livre para fazer o que quiser, mas não precisa necessariamente postar tudo o que faz”, aconselha.