Participamos do

Retrato de Marilyn Monroe por Andy Warhol é vendido por US$ 195 mi

Pintura é leiloada por valor mais alto atingido por uma obra do século 20, ou por qualquer artista americano. Símbolo da arte pop, retrato é comparado a obras de grandes mestres, como Da Vinci, Botticelli e Picasso
00:01 | Mai. 13, 2022
Autor DW
Tipo Notícia

A pintura "Shot Sage Blue Marilyn" ("Marilyn em sálvia-azul alvejada"), de Andy Warhol, com o famoso retrato da atriz Marilyn Monroe feito em 1964, foi vendida por 195 milhões de dólares (pouco mais de 1 bilhão de reais) em um leilão nesta segunda-feira, 9, sendo este o valor recorde atingido por qualquer obra de artistas americanos em leilões de arte. É também a obra do século 20 comercializada pelo valor mais alto, superando "As Mulheres de Argel", do pintor espanhol Pablo Picasso, que foi vendida por 179,4 milhões de dólares.

A obra é proveniente da coleção da Fundação Thomas e Doris Ammann, com sede em Zurique, na Suíça, e todos os rendimentos da venda seriam revertidos para a entidade, dedicada a melhorar a vida de crianças em todo o mundo, com a criação de sistemas de apoio para prestação de cuidados de saúde e programas educacionais. A casa de leilões Christie's havia estimado o valor da venda em 200 milhões de dólares. O quadro, entretanto, foi arrematado por 170 milhões, mas, com inclusão das taxas, o preço final ficou em 195 milhões de dólares. O valor recorde atingido até então por uma obra de um artista americano era de 2017, quando uma pintura de Jean-Michel Basquiat de 1982 foi vendida por 110,5 milhões de dólares.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A serigrafia, de um metro de diâmetro, apresenta a icônica atriz americana com o rosto pintado de cor-de-rosa, cabelo amarelo, lábios rubi, e uma sombra azul nos olhos. A pintura é feita sobre uma foto promocional da atriz para o filme "Niagara" ("Torrentes de Paixões", no Brasil), de 1953. A peça é parte de uma série de quatro serigrafias chamada "Shot Marilyns" ("Marilyns alvejadas"), criadas após a morte da atriz. O título se refere a um incidente em que uma mulher atirou com uma pistola contra os retratos no ateliê de Warhol, apesar de "Shot Sage Blue Marilyn" não ter sido atingida.

Obra "mais significativa do século 20"

Alex Rotter, presidente da Christie's para as coleções de arte moderna e contemporânea, disse que a obra é a "mais significativa do século 20 a ser leiloada numa geração. Marilyn de Andy Warhol é o auge absoluto do pop americano e a promessa do sonho americano, que reúne otimismo, fragilidade, celebridade e iconografia ao mesmo tempo". Ele coloca a obra ao nível de pinturas como "Nascimento de Vênus", de Sandro Botticelli, "Mona Lisa", de Leonardo Da Vinci, e "Les Demoiselles d'Avignon", de Pablo Picasso, considerando-a "uma das melhores pinturas de todos os tempos".

A serigrafia já foi exibida em alguns dos mais importantes museus do mundo, como o Guggenheim, em Nova Iorque, o Centro Georges Pompidou, em Paris, a Tate Modern, em Londres, o Centro de Arte Rainha Sofia, em Madrid, ou a Neue Nationalgalerie, em Berlim. Marilyn Monroe era uma das maiores estrelas de Hollywood de sua época. Ela morreu em 4 de agosto de 1962.

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar