PUBLICIDADE
Noticia

Ciclo de formação artística está com inscrições abertas até quinta-feira, 10

Programa "Desmonte Colonial'' acontece em três dias, no formato virtual, a partir desta segunda-feira, 14. Artistas e pesquisadores em arte e educação de todo País podem participar

07:34 | 10/12/2020
Formação visa reunir artistas de vários campos para conversas sobre história, memória, processos artísticos e anticolonialidade. Encontros acontecerão pela plataforma do Google Meet (Foto: Divulgação/Casamata)
Formação visa reunir artistas de vários campos para conversas sobre história, memória, processos artísticos e anticolonialidade. Encontros acontecerão pela plataforma do Google Meet (Foto: Divulgação/Casamata)

O colonialismo europeu resultou em marcas profundas nas tramas culturais dos povos colonizados - tiveram sua língua, seus costumes e seus modos de existência sucumbidos a uma modelização branca e dita “refinada”. Isso sob o pretexto de levar “civilização” aos “primitivos”. Esse pensamento enraizado, típico de um complexo elitista, pode ser observado em diversos âmbitos da sociedade, num jogo - aparentemente - invisível. Mas de que forma as artes contribuem, enquanto formulação e produção de conhecimento, para o processo de desmonte da máquina colonial? A Casamata, plataforma focada na produção artística contemporânea e emergente de pessoas negras, indígenas e racializadas, realiza o programa de ativação “Desmonte Colonial” para fomentar essa indagação.

As discussões que abrigavam vários espaços de Fortaleza agora serão levadas para o virtual. Ciclo formativo acontece nos dias 14, 16 e 18 de dezembro, das 17h às 21 horas, com a mediação de outros artistas: Ana Aline Furtado, Ana Lira, Clébson Francisco e Kaciano Gadelha. Inscrições podem ser realizadas até esta quinta-feira, 10, por meio de formulário.

Dez vagas serão disponibilizadas nesta chamada aberta, em que artistas e pesquisadores de todo País poderão participar. Marcadores raciais, de gênero e dissidência sexual, assim como a atuação nos campos da arte e da educação, serão levados em conta para a seleção.

“Desmontar” também pode ser “desmantelar” ou “desfazer”. Por meio do "Desmonte Colonial”, a Casamata busca construir uma comunidade aberta de aprendizagem, reunindo artistas, pesquisadores e educadores em conversas e ativações para a formação de outras possibilidades de mundo. Reflexões que prospectam perspectivas decoloniais e anticoloniais sobre arte, pensamento, cultura, história, memória e mediação em educação.

Formação visa reunir artistas de vários campos para conversas sobre história, memória, processos artísticos e anticolonialidade. Encontros acontecerão pela plataforma do Google Meet
Formação visa reunir artistas de vários campos para conversas sobre história, memória, processos artísticos e anticolonialidade. Encontros acontecerão pela plataforma do Google Meet (Foto: Divulgação/Casamata)

Serviço

Programa Desmonte Colonial da Casamata

Quando: dias 14, 16 e 18 de dezembro, das 17h às 21 horas

Onde: plataforma Google Meet

Inscrições abertas: até esta quinta-feira, 10 |  clique aqui

Mais informações: no Instagram @acasamata ou https://acasamata.com/