PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Parada LGBTQIA+ da Bahia acontece virtualmente em 5 de dezembro; confira a programação

Programação de transmissão virtual reúne mesas de debate e performances artísticas de artistas LGBTIA+

20:53 | 04/12/2020
Evento virtual será transmitido ao vivo das 18h às 20h, nos canais
Evento virtual será transmitido ao vivo das 18h às 20h, nos canais "Me Salte" e redes sociais do Jornal CORREIO. (Foto: Divulgação/ Grupo Gay da Bahia )

Na voz do apresentador e jornalista Jorge Gauthier, a 19ª Parada LGBTQIA+ da Bahia estreia neste sábado (5), das 18h às 20h, ao vivo nos canais “Me Salte” e Jornal CORREIO* (Instagram, Facebook e Youtube).

Para 2020 o evento virtual contará com a participação da atriz transgênero Matheuzza Xavier, Bagageryer Spilberg—transformista, Malayka SN – drag e arte educadora, a primeira vereadora trans e negra eleita para a cidade de São Paulo, Erika Hilton (PSOL), as cantoras Josyara e Doralyce, o rapper da cena baiana Hiran, entre outros.

Em edição histórica, a 19ª Parada da Bahia—e 1ª realizada em ambiente virtual—traz o “racismo na comunidade LGBTQIA+” como tema central da programação. Para debater questões relacionadas a ‘LGBTQIA+fobia’, Jorge Gauthier convida à mesa o produtor cultural Alan Costa; Bruna Bastos—tatuadora e ativista negra; Ismael Carvalho —criador de conteúdo digital; Inaê Leoni—cofundadora do Coletivo das Liliths; Janda Mawusí—pedagoga; e a vereadora Érica Hilton.

“A 19 ª Parada tem como objetivo ampliar o tema ‘racismo’, que sempre esteve em evidência e agora está cada vez mais, principalmente com relação a LGBTQIA+fobia. As mesas de debate, assim como toda a programação, visam incentivar o cuidado com si e com todos, e a nossa luta para que a homofobia acabe”, afirma Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB). Confira a programação: 

Mesas de debate

A partir das 18h, a Parada LGBTQIA+ recebe o idealizador do Coletivo Afrobapho e mobilizador social na “Campanha Jovem Negro Vivo” da Anistia Internacional Brasil, Alan Costa. Ao lado de Ismael Carvalho —Cofundador da “Preta Agência de Comunicação”, a mesa “Bichas Pretas” discute a vivência da comunidade LGBT no Brasil e no estado da Bahia, levando reflexões e informações a respeito da vulnerabilidade social de LGBT’sQIA+ negros e negras.

Na sequência, o evento virtual estreia a mesa “Negras, Lésbicas e Masculinizadas”. Entre as convidades, Bruna Bastos—sapatona negra, ativista e idealizadora da página “Sapatona a Entendida”, e Jandira Mawusí—idealizadora do “Coletivo Merê” e ativista nas causas raciais e de gênero LGBTQIA; dialogam sobre “lesbianidade” e “afroperspectiva”.

Ampliando os debates, a última mesa da noite traz a experiência da primeira vereadora trans e negra eleita de São Paulo—mulher mais votada da cidade com 50.508 votos pelo PSOL—, Erika Hilton. Além da vereadora, a 19º Parada LGBTQIA+ da Bahia convida à mesa “Transexuais e travestis negras não trabalham só em salão” a 1ª professora trans de São Francisco do Conde (BA), Inaê Leoni—multiartista no Coletivo das Liliths e autora do single “Onda”.

Performances artísticas

Além do levante social à reflexão e informação, a 19º Parada LGBTQIA+ da Bahia recebe as performances individuais de 6 artistas conhecidos na cena baiana e por todo Brasil.

Quem estreia os palcos da Parada é a atriz, transgênero e preta Matheuzza Xavier—estrela do espetáculo Peles Negras, Máscaras Brancas – direção Onisajé.

A artista figura ao lado da apresentadora, transformista e realizadora de concursos de beleza, Bagageryer Spilberg, além da artista visual e drag queen Malayka SN.

Já “Hiran”, baiano de 25 anos conhecido no rap nacional por hits como “Lágrima, feat. Gloria Groove, Baco Exu do Blues e Àttooxxá” e “Tem Mana no Rap”, collabs com o BaianaSystem, shows de abertura para BNegão e por figurar junto às cantoras Duda Beat (PE) e Ludmilla (RJ),tem lugar garantido no 19º ano da Parada. O rapper tem trazido à agenda da música independente brasileira uma nova integração de realidades e influências, buscando um novo ar para o hip hop da Bahia e o rap queer.

Outra estrela da noite é a pernambucana e cantora afrofuturista Doralyce, autora dos hits “Acenda a Luz”, “Eu Boto” e “O Boyzinho”. A artista é engajada em questões sociais, como mostra seus primeiros álbuns solos, Canto da Revolução (2017) e Pílula Livre (2019).

Ao lado de Doralyce, Josyara é responsável por sacudir a 19ª Parada LGBTQIA+ da Bahia, resgatando a energia do seu primeiro disco, Uni Versos (2012). A cantora natural de Juazeiro (BA) já levou os troféus de “Melhor Instrumentista” e o Escuta As Minas, tirando a inspiração do sertão para as letras.

Sobre a 19º Parada LGBTQIA+ da Bahia

Reunindo milhares de vozes todos os anos, o 19º ano da Parada LGBTQIA+ ocupa, dessa vez, os ambientes virtuais através da hashtag #paradalgbtqiadabahia2020. A frente da Parada por quase duas décadas, o Grupo Gay da Bahia (GGB) é o realizador do evento, com a produção da Maré Produções Culturais, patrocínio do Grupo Big, Goethe-Institut Salvador – Bahia e Criação de Conteúdo do Jornal CORREIO*/Me Salte e Movida Conteúdo.

Serviço

19ª Parada do Orgulho LGBTQIA+ da Bahia
Quando: 5 de dezembro, sábado;
Horário: das 18h às 20h.
Onde: ao vivo nos canais “Me Salte” e Jornal CORREIO*;
Participantes: Alan Costa, Bruna Bastos, Ismael Carvalho, Inae, Janda Mawusí, Érica Hilton, Hiran, Matheuzza, Bagageryer Spilberg, Josyara e Doralyce, Jorge Gauthier.

Do Jornal Correio 24 horas via Rede Nordeste.

TAGS