PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Anticorpo: coletivo artístico realiza exposição virtual a partir de sábado, 25

O grupo integra sete artistas atuantes no mercado local e nacional, que têm diferentes propostas nas artes visuais

12:32 | 24/07/2020
Marccos Oriá,
Marccos Oriá, "Avis Vagas", posca e acrílica sobre canson preto, 50x65, 2018 (Foto: Marcos Oriá)

A principal função do anticorpo é defender o organismo de invasores. É, portanto, resultado de uma reação do corpo contra ameaças externas. No período de pandemia causada pelo coronavírus, o trabalho dessas imunoglobulinas (como também é chamado) ganha um significado e uma importância ainda mais forte.

Nesse cenário, o Kraft Atelier Coletivo realiza a exposição virtual “AntiCorpo” a partir deste sábado, 25. Durante uma semana, sete artistas que integram o grupo divulgarão suas obras no perfil do Instagram @kraft.atelier e na página oficial do Facebook.

Leia também | Com homenagem a Belchior, coletivos de Fortaleza realizam live cultural para ajudar artistas

Esses profissionais, atuantes no mercado local e nacional, refletem em suas obras sobre outras perspectivas para o termo “anticorpo”. Além do momento atual, eles trazem a palavra como uma reação contra o sofrimento vivido pelo corpo físico, psíquico e social.

Da política governamental à micropolítica, revelam os poderes que ameaçam as minorias em diversos aspectos cotidianos. A palavra “anticorpo” toma forma, na exposição, de um instrumento usado contra o corpo, em que uma pessoa se torna apenas um número.

Leia também | Coletivo Avesso realiza chamada aberta para incentivar produção de bordados

“A gente está passando pela questão da pandemia. Isso afetou muito a visão dos artistas sobre a forma de fazer arte. No isolamento social, isso gerou discussão dentro do grupo sobre como cada um estava vivenciado a pandemia e a arte. A única coisa que a gente viu em comum era a questão da necessidade de usar a arte para passar por essa situação”, explica o expositor Marcos Oriá.

De acordo com ele, a exposição online é uma maneira de se adaptar ao período atual. “É interessante o processo da exposição online. Mas acho que a arte física, tátil e visual é insubstituível. Essa questão de estarmos fazendo uma exposição virtual é uma questão de adequação. Pós-pandemia vai surgir uma vontade muito grande de voltarmos aos museus, às galerias”, comenta.

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by kraft atelier (@kraft.atelier) on

Várias obras vão ser colocadas nas redes sociais. Porém, a divulgação não será estática. “A mostra de cada artista e dos trabalhos dinamicamente mostrado. Eu não chamo de vídeo, mas uma forma dinâmica, vai fugir do usual. A gente sempre vai lançar pela manhã”, afirma Marcos Oriá.

Os artistas que irão apresentar seus trabalhos são, respectivamente: Ana Débora Pessoa, no domingo, 26; Cardoso Junior, na segunda-feira, 27; Carlus Campos, na terça-feira, 28; Fabiana Azeredo, na quarta-feira, 29; Júlio Maciel, na quinta-feira, 30; Marcos Oriá, na sexta-feira; 31; Mário Sanders, no sábado, 01.

Com diferentes propostas visuais, os integrantes do coletivo Kraft têm o objetivo de propagar os processos artísticos por meio de oficinas, cursos, exposições, entre outras iniciativas. A partir de seus aspectos culturais, educativos e sociais, difundem a arte na Cidade.

Vida & Arte Podcast