PUBLICIDADE
NOTÍCIA

#FicaEmCasa: artistas cearenses comandam últimos dias do Festival Acordes do Amanhã

Mais de 40 apresentações de artistas locais movimentaram a programação do Festival nos meses de junho e julho

00:13 | 09/07/2020
Pedro Frota apresentou seu novo projeto
Pedro Frota apresentou seu novo projeto "Entre o Sertão e o Mar" (Foto: DIVULGAÇÃO)

A edição #FicaEmCasa do Festival Acordes do Amanhã chega na sua última semana de apresentações. De hoje, 9, a 12 de julho, das 17h às 21h, artistas cearenses aprovados na convocatória pública para compor a programação do Festival apresentam suas performances em transmissões ao vivo em suas próprias redes sociais.

De reggae ao rock, os ritmos que compõem a despedida da edição 2020 revelam a diversidade de estilos presente na música cearense. Mais de 400 músicos locais demonstram interesse em fazer parte da programação do Festival por meio de inscrição na chamada pública.

Na edição de 2017, o Festival teve como tema “Sons que transformam”, já em 2018 a temática foi “Somos música”, seguida da edição 2019 com “Música para todxs”. Somando as três edições, o evento já contou com a apresentação de 2.100 artistas da música divididos em 512 apresentações. O Acordes do Amanhã já atingiu um público estimado de 185 mil pessoas, passando por mais de 40 cidades de 4 estados.

Dentre os artistas cearenses, Pedro Frota apresentou seu novo projeto “Entre o Sertao e o Mar”, nessa quinta-feira, 9 de julho, as 18h30min, em uma live no seu Instagram (@pedrodrotamusica). “Nesse show apresento composições minhas que bebem da fonte da música nordestina. A cultura nordestina aqui sob o ponto de vista de um habitante do litoral, da capital, mas que tem as raízes no interior. É o meu caso e o de muita gente que em Fortaleza”, comenta o artista. “O show ainda traz questionamentos de preconceitos enraizados da sociedade, atualizando certas temáticas comumente tratadas na música nordestina”, acrescenta.

É na sala de seu apartamento que seu novo trabalho “Entre o Sertão e o Mar” é percorrido. Pelas narrativas das canções e da performance do cantor, violonista e compositor, Pedro Frota, sua música parte do interior, sua origem, a afirmação de pertencimento traz consigo o questionamento de preconceitos enraizados na sociedade brasileira em relação à região Nordeste do país. Em um movimento que contraria o êxodo, o artista e a obra afirmam que “aqui é o melhor canto que há”.

Outras temáticas de afirmação do povo nordestino e de sua cultura também são gatilhos para as canções, tais como: ecologia e liberdade sexual. O retorno para a capital é representado pelo “encontro com o mar”, que também é o reencontro com a fé. Os arranjos exploram a mistura de ritmos nordestinos com sonoridades de efeitos de violão, guitarra e voz.

Em destaque, outro artista cearense que participou do Festival é Zéis, também hoje, 9. A live foi transmitida pelo canal do Youtube do artista (http://youtube.com/zeisoficial). O período de isolamento social para ele tem sido de intensa criação. Apenas um mês depois de lançar o terceiro álbum da carreira solo, Caim, o artista se conecta com seu lado mais experimental e libera um single inédito, Regresso. "O processo de fazer um disco inteiro pra quem é artista independente às vezes é longo, demorado, e, quando aquele trabalho sai, ele já não conversa mais tanto com o que se quer dizer naquele momento", explica.

Regresso nasce nesse momento de pausa, nos shows presenciais e na vida lá fora, e se apropria da estética da música lo-fi para convidar o ouvinte a mergulhar em si mesmo enquanto observa o universo pela janela.

Gravado entre novembro de 2018 e julho de 2019 e produzido pelo Zéis e pelo músico Artur Guidugli, o álbum trata sobre o fim em diferentes esferas. “As músicas do disco, de modo geral, tratam do fim, mas trago três dimensões dessa questão: uma dimensão pessoal, que envolve as relações amorosas ou não, as relações interpessoais; uma dimensão do mundo, por uma perspectiva social, e trago a dimensão de um outro plano, um plano espiritual, a partir da qual falo da morte, da figura de Deus. Enfim, todas essas dimensões discutidas a partir dessa ideia do fim, que na parábola de Caim é representada pela morte”, explica Zéis.

Nomes já conhecidos na cena cultural de Fortaleza como Selvagens à Procura de Lei, Luiza Nobel e Mulher Barbada também participam da última semana do Festival Acordes do Amanhã #FicaEmCasa.

Confira a programação completa:

QUINTA-FEIRA (9/07)
18h30 – Pedro Frota
Onde: Instagram @pedrofrotamusica

19h – Zéis
Onde: Youtube /zeis

19h30 – Jeff Pereira
Onde: Youtube Jeff Pereira
e Instagram @jeffpereiraoficial

20h – Banda O Verbo

SEXTA-FEIRA (10/07)
18h – Pedro Madeira
Onde: Instagram @pedromadeira3

19h – Mentalize
Onde: Youtube Banda Mentalize

20h – Tauí Castro
Onde: Instagram @taui.castro

21h – Luiza Nobel
Onde: Youtube /luizanobel

SÁBADO (11/07)
16h – Dj Renatinha
Onde: Facebook /renatinhafeitomusica

17h – Rayane Fortes
Onde: Instagram @rayanefortes

18h – Roberta Fiuza
Onde: Youtube /robertafiuza

20h – Bruna Ene
Onde: Instagram @brunaene

21h – Os Lamparinos
Onde: Youtube Os Lamparinos

DOMINGO (12/07)
18h – Grupo DTF
Onde: Instagram @grupodtf

19h – Mulher Barbada
Onde: Instagram @mulher_barbada

20h – Selvagens à Procura de Lei
Onde: Instagram @selvagensaprocuradelei

21h – Edinho Vilas Boas
Onde: Instagram @edinhovilasboas

Serviço:

Quinta-feira, 9 de julho
“Entre o Sertao e o Mar”, de Pedro Frota
Quando: 18h30min
Onde: Instagram @pedrofrotamusica

Live do Zéis no Festival Acordes do Amanhã
Quando: 19h
Onde: no canal do YouTube (https://www.youtube.com/zeisoficial)

Sexta- feira, 10 de julho
Lançamento do single Regresso, de Zéis
Onde: em todas as plataformas de streaming