PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Dia Nacional do Fotógrafo: registros marcantes feitos pelo O POVO e as emoções por trás deles

O POVO reuniu fotografias de momentos da Cidade, feito por nossos fotojornalistas

08/01/2020 22:02:43
Localizado no bairro Dionísio Torres, o Edifício Andréa desabou vitimando nove pessoa
Localizado no bairro Dionísio Torres, o Edifício Andréa desabou vitimando nove pessoa (Foto: Mauri Melo/O POVO)

Profissionais que registram histórias. No Dia Nacional do Fotógrafo, celebrado nesta quarta-feira, 8, O POVO reuniu fotos de momentos marcantes da Cidade, feito por nossos fotojornalistas. Os registros carregam emoções, denúncias, histórias e falam também sobre quem está por trás da câmera. É a arte, afinal, quem revela o artista.

Confira nossa seleção de imagens:

Clique na imagem para abrir a galeria

Por trás da foto

Mais do que fotografar, o profissional da fotografia passa por diversas emoções. Antes do registro, ele analisa a luz do ambiente, pensa no ângulo que pode utilizar e decide o melhor enquadramento. Mas nem sempre dá tempo de calcular tudo. Às vezes, o trabalho também conta com intuição e sorte.

“A imagem já está lá, só temos a sorte de ver”, revela Fábio Lima, fotojornalista há mais de 10 anos do O POVO. O profissional destaca o momento em que conseguiu registrar o sangramento do Açude Batente, em Ocara, interior do Estado. A foto (confira na galeria acima) registra o mergulho de um homem no local. “Eu tive que correr pra conseguir registrar. Pra mim, essa foto refletiu a liberdade e a alegria pelas chuvas”, pontua.

O sentimento que a fotografia carrega, no entanto, nem sempre é o de alegria. Júlio Caesar, fotojornalista da casa, foi o autor da foto ganhadora do prêmio Prefeitura de Fortaleza de Jornalismo, na categoria Fotojornalismo, em 2019. O registro (confira na galeria acima) foi realizado no último dia de buscas das vítimas do Edifício Andrea, em outubro do ano passado. “Era sensível porque existia a tristeza e a dor das famílias. Fico feliz que essa foto conseguiu sintetizar o recomeço e a sensibilidade diante de um tema delicado”, destacou na ocasião.

A sensibilidade de um momento vai além do que é “óbvio”. O fotógrafo enfrenta também desafios pessoais na hora do registro. Sandro Valetim, fotojornalista há mais de três anos do O POVO, conta que as fotos que faz de alagamentos, durante períodos chuvosos, o lembram de uma realidade por qual também passou. “A casa da minha mãe sempre alagava. Ver pessoas ainda sofrendo com isso acaba sempre me afetando”, pontua.