PUBLICIDADE
Vida & Arte
Noticia

Críticos de cinema elegem vinte filmes cearenses essenciais da última década

Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine) divulga ranking com vinte produções que marcaram o audiovisual cearense nos últimos dez anos e destaca "Inferninho", de Guto Parente e Pedro Diógenes, no topo da lista

00:00 | 26/11/2019
"Inferninho" (2018), de Guto Parente e Pedro Diógenes (Foto: Divulgação)
"Inferninho" (2018), de Guto Parente e Pedro Diógenes (Foto: Divulgação)

A Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine) divulgou na manhã desta terça, 26, um ranking com 20 filmes cearenses essenciais da última década (2010-2019). No primeiro lugar, a lista traz "Inferninho" (2019), além de contar também com filmes como “Pacarrete” (2019) e “O clube dos canibais” (2018). Cinco produções dirigidas por mulheres cineastas figuram no ranking - entre elas, “Rânia”, de Roberta Marques, em terceiro lugar. A base foi uma lista preliminar composta por cerca de 60 títulos, considerando-se filmes realizados entre 2010 e 2019 e que tiveram estreia oficial nos cinemas brasileiros ou que foram exibidos pelo menos uma vez em Fortaleza - em mostras, festivais ou plataformas digitais. Com o ranking divulgado, a expectativa é manter a memória desses longas-metragens e estimular a produção local, além de ser um convite para conhecer ou revisitar obras marcantes da filmografia cearense. Os jornalistas do O POVO João Gabriel Tréz, Hamlet Oliveira e André Bloc são membros da Aceccine.

As potencialidades do cinema cearense tem ocupado lugar de destaque em 2019 - seja pelo reconhecimento com filmes exibidos e premiados em festivais importantes do Brasil e no exterior, seja pelo número significativo de obras que estrearam em circuito comercial ao longo do ano. “Pacarrete”, “Greta”, “Currais” e “Tremor Iê”, por exemplo, todos lançados neste ano, sublinham a força do audiovisual cearense e sua projeção internacional. “A divulgação da lista aproveita o ótimo momento que o cinema cearense está passando ao ser discutido, apreciado e reconhecido mundo afora. Esse fortalecimento ficou mais visível da metade da década para cá, como transparece o ranking, mas é fruto de processos criativos que foram construídos no decorrer dos anos e apoiados por políticas públicas que garantem o funcionamento da cadeia produtiva”,avalia Diego Benevides, presidente da Aceccine.

No topo da lista está o premiado longa-metragem “Inferninho” (2018), que narra o encontro amoroso entre Deusimar (Yuri Yamamoto), a dona do bar Inferninho, e Jarbas (Démick Lopes), um marinheiro que acaba de chegar na cidade. O filme tem direção de Guto Parente (que tem outros cinco filmes listados) e Pedro Diógenes (diretor de outras duas produções que aparecem na lista).

O resultado geral reflete as muitas propostas e experiências que marcaram a produção cearense de cinema nos últimos anos. “A lista é resultado de uma votação interna democrática entre os associados da entidade e é fruto direto da pluralidade da nossa produção no período”, explica Diego. O presidente da Associação ressalta ainda que a lista buscou apontar a urgência na redução das desigualdades de gênero, raça, classe e sexualidade no cinema brasileiro, “para que a próxima década possa ser construída de forma mais justa”.

Roberta Marques, diretora de "Rânia", é uma das cineastas que aparece na lista. “É uma menção que confirma o que o filme foi e ainda é. Depois de quase uma década do seu lançamento, ele continua sua carreira. Tenho grande amor por esse filme e por todas e todos envolvidos no processo”, comenta. Para ela, o filme se insere em um momento no qual mulheres ainda lutam por consolidar seu espaço autoral na produção audiovisual. “Como diretora, roteirista e produtora, sempre empoderei as mulheres. No 'Rânia' foi assim e o resultado não poderia ter sido melhor”, avalia.

Além de Roberta, a lista contempla cineastas mulheres ao destacar “Tremor Iê” (Lívia de Paiva e Elena Meirelles), "Currais" (que Sabina Colares co-dirige com David Aguiar), "O Animal Sonhado (co-dirigido por Luciana Vieira e Ticiana Augusto Lima, além de Breno Baptista, Samuel Brasileiro, Victor Costa Lopes e Rodrigo Fernandes) e "A Misteriosa Morte de Pérola" (assinado por Ticiana Augusto Lima e Guto Parente). Diferentes nomes do cinema cearense, como Rosemberg Cariry, Halder Gomes e o hoje extinto Coletivo Alumbramento também aparecem no ranking. Para Diego, trata-se de “um guia, um convite, para que o público possa ver ou rever essas obras e conhecer a nossa filmografia recente”, conclui.

Confira abaixo Top 20 Filmes Cearenses Essenciais da Década (2010-2019), da Aceccine, e galeria de fotos:

1. Inferninho (2018), de Guto Parente e Pedro Diógenes

2. Mãe e Filha (2011), de Petrus Cariry

3. Rânia (2012), de Roberta Marques

4. A Misteriosa Morte de Pérola (2014), de Guto Parente e Ticiana Augusto Lima

5. Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois (2015), de Petrus Cariry

6. Pacarrete (2019), de Allan Deberton

7. Greta (2019), de Armando Praça

8. Corpo Delito (2017), de Pedro Rocha

9. Linz - Quando Todos os Acidentes Acontecem (2013), de Alexandre Veras

10. O Clube dos Canibais (2018), de Guto Parente

11. Currais (2019), de David Aguiar e Sabina Colares

12. Estrada para Ythaca (2010), de Ricardo Pretti, Pedro Diógenes, Luiz Pretti e Guto Parente

13. Tremor Iê (2019), de Elena Meirelles e Lívia de Paiva

14. Os Pobres Diabos (2013), de Rosemberg Cariry

15. Os Monstros (2011), de Guto Parente, Ricardo Pretti, Luiz Pretti e Pedro Diógenes

16. Doce Amianto (2013), de Guto Parente e Uirá dos Reis

17. Medo do Escuro (2015), de Ivo Lopes Araújo

18. Cine Holliúdy (2013), de Halder Gomes

19. O Barco (2018), de Petrus Cariry

20. O Animal Sonhado (2015), de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima e Victor Costa Lopes

Clique na imagem para abrir a galeria