PUBLICIDADE
Noticia

Bancários viram DJs e levam a paixão do vinil para praças e feiras de Fortaleza

A dupla de DJs, que atende pelo nome de "2 na Radiola", é uma das ganhadoras do VII Edital das Artes da Secretaria Municipal da Cultura da Prefeitura de Fortaleza, com projeto que tem como objetivo levar coleção de LPs para espaços públicos da cidade

10/08/2019 10:32:57
 "A gente queria divulgar o nosso trabalho e divulgar o vinil pela cidade, então nós escolhemos aparelhos públicos para tocar", declara Magnum ao O POVO Online sobre o objetivo do projeto.
"A gente queria divulgar o nosso trabalho e divulgar o vinil pela cidade, então nós escolhemos aparelhos públicos para tocar", declara Magnum ao O POVO Online sobre o objetivo do projeto.(Foto: Divulgação)

Magnum Matos, 38, e Rogério Montenegro, 54, eram bancários até decidirem transformar o amor por discos de vinil em uma profissão. Agora, assumem uma dupla identidade: de dia funcionários em um emprego formal e a noite DJs em festas e barzinhos. A dupla, que atende pelo nome de “2 na Radiola”, é uma das ganhadoras do VII Edital das Artes da Secretaria Municipal da Cultura da Prefeitura de Fortaleza, com projeto que tem como objetivo levar a coleção de LPs para espaços públicos da cidade. Os dois se apresentarão nos dias 11 e 18 de agosto no Passeio Público, das 15 às 17 horas; e no dia 7 de setembro, das 17 às 21 horas, no Mercado dos Pinhões.

“A gente queria divulgar o nosso trabalho e divulgar o vinil pela cidade, então nós escolhemos aparelhos públicos para tocar”, declara Magnum ao O POVO Online sobre o objetivo do projeto.

O amor pelos discos se mistura à paixão pela cerveja. Os dois bebiam no Cantinho Acadêmico, conhecido bar no boêmio bairro Benfica, quando em conversa com o Pereira, dono do local, receberam o convite para tocar pela primeira vez, no dia 19 de junho de 2017. De lá pra cá eles compraram som, luz e mixer e foram contratados. O público cresceu e hoje são atração fixa do espaço às quartas-feiras.

No início, a dupla só tocava samba, mas hoje transitam do forró ao rock internacional e levam cerca de 350 LPs para os eventos. Tudo isso, claro, com o adendo das músicas serem tocadas em vinis de um acervo de mais de 6 mil discos.

Rogério Montenegro, 54, e Magnum Matos, 38.
Rogério Montenegro, 54, e Magnum Matos, 38. (Foto: Divulgação)

Os itens da coleção são comprados em lojas e sebos, passando por garimpagem em espaços espalhados pela cidade e até mesmo em outros estados. Quando começaram, Magnum possuía uma pequena coleção de 300 LPs e Rogério já era um colecionador, com mais de 4 mil itens. Rogério, desde a adolescência, é íntimo do vinil, quando ouvia os discos de Pinduca, Robertos Carlos e Roberta Leal que seu pai colocava para tocar. "Com a chegada dos CDs comecei a colecionar. Mas de uns 11 anos pra cá senti saudade do chiadinho do vinil e a paixão pelos bolachões reacendeu”.

 

O nome “2 na Radiola” quem deu foi uma amiga, e surgiu a partir do fato de usarem uma radiola profissional para tocar as músicas. Para Magnum, a experiência da música com o vinil é totalmente diferente da música virtual. O cheiro, o toque, a capa e os encartes aguçam os sentidos, principalmente dos mais velhos, que sentem ali um pedaço da infância e adolescência. “A música virtual você apenas escuta. No LP você sente o cheiro, você tem as capas, os encartes... Sem falar que é um pedaço da nossa infância, da nossa adolescência. É muito comum o cliente pegar um disco e falar "esse disco aqui meu pai me deu nos meus 15 anos" ou "eu tinha esse disco, ganhei da minha tia". Se você olhar as dedicatórias que tem nas capas dá para ter uma noção do quão carregado de bons sentimentos é um vinil”, declara.

Apesar de ter perdido a força com a chegada do CDs e mais ainda com os streamings e a facilidade de download na internet, Magnum acredita que o movimento de retorno aos LPs é muito forte. “Nós temos lojas abrindo, tem bandas nacionais e internacionais que estão gravando em vinil. Tem muita gente que não era nem nascida na época do vinil e que está colecionando hoje. Nos Estados Unidos hoje se grava mais LP que CD”.

Serviço

2 na Radiola

Quando: 11/08 e 18/08

Onde: Passeio Público

Horário: 17 às 21 horas

2 na Radiola

Quando: 07/09

Onde: Feiras no Mercado dos Pinhões

Horário: das 17 às 21 horas

lucas de Paula