PUBLICIDADE
VidaeArte
Lançamento

Getúlio Abelha lança "Aquenda", sua aposta para o Carnaval

A música já está disponível em todas as plataformas digitais. O clipe oficial será lançado em breve

08/02/2019 17:44:22
Getúlio gravou clipe, que deve ser lançado em breve, para a nova música
Getúlio gravou clipe, que deve ser lançado em breve, para a nova música

Getúlio já foi “Laricado”, já usou “Tamanco de Fogo” e, agora, chega para o Carnaval vestindo calcinha vermelha. Trajar a peça íntima para compor o novo trabalho parte da necessidade do artista de desestabilizar ideias presentes nas “mentes ignorantes”, segundo ele mesmo define. Essa inquietação se reflete em “Aquenda”, faixa lançada nesta sexta-feira, 8, em todas as plataformas digitais. Para a música, Getúlio planeja dois clipes: um lyric -já lançado-, e vídeo “quase cinematográfico”, como descreve o artista, que propõe uma experiência dupla a quem assistir. O clipe oficial será lançado em breve.  

“Aquenda” chega pronta para ser tocada a exaustão durante os dias de folia. Abelha não se importa em lançar uma música que possa ter prazo curto de validade – premissa comum em músicas que “hitam” no período folião. “A música, por conta própria, vai pra algum lugar na história ou no esquecimento das pessoas”, pondera. No meio LGBTQI+, o termo "aquendar" é o mesmo que “pegar de jeito”.

A aposta de Getúlio apresenta vários elementos tipicamente regionais, que dialogam com as batidas de forró, tecnobrega – ritmos muito característicos das bandas de cá. As gírias também remetem a um Nordeste que ele descreve como “infinito”. Mesmo falando em “penduricalho”, o artista não demonstra receio de restringir, em termos geográficos, seu trabalho. “Tudo é restrito, tudo chega a um limite, me preocupo mais em fazer o que acho necessário para as minhas angústias no momento”, rebate.

Ao Vida&Arte, o piauiense conta que o primeiro desejo foi de gravar um álbum. Contudo, o processo de concepção do trabalho é lento e caro. Já o single consegue, segundo ele, sanar emergências de coisas que, enquanto artista, precisa dizer.

Na letra, Getúlio coloca em questão a alienação das pessoas em relação à história recente do País. A ditadura militar e o conservadorismo também entraram em “Aquenda”. O artista explica que se sente perdido em relação ao que define ser caos da falta e do excesso de informações que circulam atualmente. “Enquanto artista sinto que minha única saída é, através da arte, impedir que o poder conservador se alastre, criar fogo e movimentar pessoas”, provoca.

Os fãs do artista poderão ver a música cantada ao vivo, pela primeira vez, no dia 15 de fevereiro, durante show no Dragão do Mar. Durante o Carnaval, Getúlio Abelha estará em Recife, onde será atração no Festival Recbeat.

Danielber Noronha