PUBLICIDADE
Vida & Arte
evento

Quadrinhos são foco da segunda edição do Vida&Arte Convida

21:09 | 09/09/2017

Weaver Lima, Raymundo Netto e Daniel Brandão discutiram sobre o mercado cearense de HQs no encontro (FOTO: MARIANA PARENTE/ESPECIAL PARA O POVO)
 

O universo das histórias em quadrinhos tomou conta da Livraria Cultura ao longo do dia de hoje, 9, dentro da programação especial da segunda edição do Vida&Arte Convida. Os irmãos quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá, dois dos principais nomes das HQs a nível mundial, participaram de entrevista aberta ao público e ainda lançaram sua mais recente HQ, “Como falar com garotas em festas”, adaptação do conto homônimo do inglês Neil Gaiman. Promovido através de parceria entre o O POVO e a Livraria Cultura, o Vida&Arte Convida ainda recebeu outras programações ao longo do dia.

Nesta edição, todas as atividades foram voltadas às culturas geek e nerd. O encontro começou à tarde, a partir das 15 horas, com atividades da programação paralela. Os jogos de tabuleiro, que estão oferecendo novidades ao público e, com isso, ganhando mais adeptos, foram o foco da abertura da programação, com uma atividade oferecida pela Balboa’s Luderia, que trouxe diversos board games para o público presente. “É uma proposta diferente dos jogos clássicos, são outros temas, mais qualidade do material. Em tempos que vivemos atrelados à tecnologia, celular, isso aqui parece retrógrado, mas é muito legal sentar com os amigos off-line, interagir, conversar”, destacou Régis Torquato, que conferiu os jogos com um grupo de amigos. Um deles, Eduardo Taveira, fez coro a Regis. “Eu costumo jogar games no computador, mas quando comecei a sair com o pessoal para o Balboa’s, a conhecer os jogos de tabuleiro, estou vendo que tem um universo enorme e é muito divertido”, afirmou.

Já às 16 horas, começaram as discussões sobre o universo dos quadrinhos com o bate-papo “Rabiscos Cearenses”, que recebeu os quadrinistas e organizadores da antologia HQ Ceará Raymundo Netto e Daniel Brandão, com mediação do membro do coletivo Monstra Weaver Lima. “É muito importante ter uma visão profissional. A Internet pode ajudar a distribuir a produção”, afirmou Raymundo. “As HQs já são discutidas na academia. Temos a oficina de quadrinhos na Universidade Federal do Ceará desde 1985, é um projeto de resistência por onde muita gente passou”, lembrou Daniel. Enquanto a conversa acontecia no auditório, o espaço infantil recebeu atividades temáticas. O foco foi o game Minecraft, que foi tema de brincadeiras e até de oficina de programação para crianças. A programação paralela ainda contou com uma edição especial do Clube do Quadrinho, oferecido mensalmente pela Livraria Cultura, que discutiu a HQ “Paciência”, de Daniel Clowes, com mediação da autora e quadrinista Alessandra Jarreta.

Os irmãos quadrinistas Fábio Moon (de branco) e Gabriel Bá (de boné), entrevistados por Pedro Brandão, lembraram os desafios da trajetória para se firmarem no mercado (FOTO: MARIANA PARENTE/ESPECIAL PARA O POVO)
 

Fábio Moon e Gabriel Bá, os grandes convidados desta segunda edição, participaram no início da noite de entrevista aberta ao público, com mediação do podcaster Pedro Brandão. Na ocasião, os irmãos lembraram os desafios da trajetória para se firmarem no mercado como quadrinistas autorais. “Recebemos um monte de ‘não’, mas você aprende, ouvir as críticas é bom”, aconselhou Gabriel. “A demanda da HQ autoral é menor. Não é o que o mercado precisa, é o que você tem a oferecer. Por isso, é um caminho mais demorado”, ponderou Fábio. Os irmãos destacaram a adaptação que fizeram de “O Alienista”, de Machado de Assis, como um momento-chave para “atingir outros públicos”. “Na adaptação, a gente tenta adicionar uma camada na obra para fazer que o público do autor original, o nosso e o que curte HQs em geral conversem”, explicou Fábio. Logo depois da animada conversa com os fãs, Moon e Bá participaram da sessão de autógrafos do lançamento de “Como conversar com garotas em festas”.

JOãO GABRIEL TRéZ