PUBLICIDADE
Vida & Arte
Rio Grande do Sul

Exposição sobre diversidade sexual é cancelada após repercussão negativa

A mostra foi acusada de "blasfêmia", "pornografia", "imoralidade" e "apologia à zoofilia e pedofilia". O cancelamento divide opiniões

12:02 | 11/09/2017

Foto: Reprodução/Facebook
Uma exposição no Santander Cultural de Porto Alegre foi cancelada neste domingo, 10, quase um mês antes do encerramento que estava programado para oito de outubro. Chamada "Queermuseu", a mostra recebeu diversas manifestações negativas nas redes sociais e dentro do museu, o que acabou resultando na decisão por encerrar a mostra. 

A exposição reunia mais de 270 obras de 90 artistas e trazia nomes como Adriana Varejão, Nino Cais, Cândido Portinari e Alfredo Volpi. Segundo o Santander Cultural, as obras foram criadas para nos fazer refletir sobre os desafios que devemos enfrentar em relação a questões de gênero, diversidade e violência. O texto foi publicado na página da entidade dois dias antes do cancelamento. Confira:

Nas redes sociais, grupos de pessoas que são contrárias à exposição compartilharam imagens e vídeos descrevendo-a como "blasfêmia", "pornografia", "imoralidade" e "apologia à zoofilia e pedofilia". A página no Facebook “Carta Capitalista”, que tem quase 150 mil seguidores, fez uma campanha para derrubar a avaliação da página do Santander Cultural. O Movimento Brasil Livre (MBL) publicou a notícia do cancelamento da exposição com a legenda: “vitória da pressão popular!".

Em nota, o Santander Cultural pediu desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra. Divulgada no dia do fechamento da exposição, domingo, o texto fala ainda: "as obras da exposição 'Queermuseu' desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo".

 

Confira a nota na íntegra:

Artistas e personalidades da mídia se manifestaram sobre o caso nas suas redes sociais. O jornalista e apresentador Marcelo Tas entrou em um debate com o MBL no Twitter, chamando a ação de "censura":

O escritor cearense Lira Neto publicou em sua página pessoal no Facebook a notícia do cancelamento da mostra com a legenda “tempos de atroz obscurantismo”. Mais tarde, ele postaria uma sequência de obras de Picasso, Dali e outros artistas que evocam o erotismo, segundo ele, para mostrar que o tema “está presente no trabalho de grandes mestres da arte universal”. Confira:
 
Entidades do movimento LGBT do Rio Grande do Sul estão programando um ato em resposta ao fechamento da mostra. O protesto está agendado para acontecer nesta terça-feira, 12, no Centro Histórico de Porto Alegre, na rua Sete de Setembro, às 15h30min.
 
Redação O POVO Online