PUBLICIDADE
Vida & Arte
QUEERMUSEU

Abaixo-assinado pede reabertura da exposição "Queermuseu"

15:14 | 12/09/2017

Foto: Reprodução/Facebook
Após o encerramento da exposição "Queermuseu" ter sido anunciado no último domingo, 10, em resposta a protestos, um abaixo-assinado, agora, pede o retorno da mostra. A exposição estava em cartaz no Santander Cultural, em Porto Alegre, e ganhou repercussão nacional após manifestações contrárias às obras que ali estavam ganharem as redes sociais e o espaço físico do museu. O encerramento ocorreu um mês antes do previso, causando maior repercussão, com comentários contra e a favor da decisão do Santander.

A exposição reunia mais de 270 obras de 90 artistas e trazia nomes como Adriana Varejão, Nino Cais, Cândido Portinari e Alfredo Volpi. Segundo o Santander Cultural, as obras foram criadas para nos fazer refletir sobre os desafios que devemos enfrentar em relação a questões de gênero, diversidade e violência. O texto foi publicado na página da entidade dois dias antes do cancelamento.

O abaixo-assinado foi criado para pressionar o Santander Cultural Porto Alegre a voltar atrás da decisão e reabrir as portas da mostra. "O fechamento da exposição 'Queermuseu – cartografias da diferença na arte da brasileira' em cartaz no Santander Cultural em função de protestos contra o seu conteúdo é um retrocesso, e a atitude exatamente contrária que deve ter um centro cultural sobre os conteúdos artísticos que viabiliza à apreciação de toda uma sociedade", defende o documento criado no site Change.org.

Com meta de 50 mil assinaturas, até às 15h09min desta terça-feira, 12, a página já havia recebido a adesão de 40.583 apoiadores. A proposta do grupo de pessoas que organiza o documento é entregar as assinaturas ao Santander. No domingo, 10, o banco se posicionou sobre as manifestações e pediu desculpas a quem se sentiu ofendido com as obras: "Nos últimos dias, recebemos diversas manifestações críticas sobre a exposição Queermuseu - Cartografias da diferença na Arte Brasileira, inaugurada em agosto no Santander Cultural. Pedimos sinceras desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra", publicou o banco.

 O cantor e compositor Leoni postou em seu Twitter sobre o abaixo-assinado: 

 

 A também cantora, compositora e ex-ministra da Cultura, Ana de Hollanda, também se posicionou:

Redação O POVO Online