PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Facebook pode estar trabalhando em função similar ao Clubhouse, diz jornal

De acordo com o The New York Times, a ferramenta estaria em estágios iniciais de desenvolvimento. O Clubhouse, nova rede social exclusiva para iPhones, vem passando por um pico de downloads

Marília Freitas
09:55 | 14/02/2021
Facebook se transformou em um conglomerado de redes sociais e é dono do Instagram e do WhatsApp. (Foto: Brett Jordan/Unsplash)
Facebook se transformou em um conglomerado de redes sociais e é dono do Instagram e do WhatsApp. (Foto: Brett Jordan/Unsplash)

Visando alcançar o sucesso da nova rede social Clubhouse, o Facebook já estaria trabalhando em uma versão própria do aplicativo ou ainda em um recurso para ser implementado nas redes da companhia. De acordo com fontes ouvidas pelo jornal americano The New York Times, a ferramenta estaria em estágios iniciais de desenvolvimento. A rede social não comentou o assunto.

Vale lembrar que recentemente o próprio Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook, marcou presença na plataforma no último domingo, 7, para falar sobre Realidade Aumentada (RA) e Virtual (RV). Outros famosos como Elon Musk também aderiram ao Clubhouse. As informações são do site Canaltech.

O Clubhouse, exclusivo para iPhones, vem passando por um pico de downloads e tem entrada limitada através de convites cujos valores podem chegar a até R$ 500. Com o formato de "salas de conversa", o aplicativo reúne pessoas debatendo por voz interesses em comum que vão de política a reality shows. Embora haja outras redes sociais com funções semelhantes, como o Discord, a participação de celebridades como Oprah, Caetano Veloso, Boninho e Ashton Kutcher fez o interesse pelo Clubhouse disparar.

LEIA TAMBÉM | Sem textos, imagens e vídeos: conheça o Clubhouse

Vale lembrar que o Facebook se tornou em um conglomerado de redes sociais, sendo dono de aplicativos como WhatsApp e Instagram. A empresa acumula polêmicas com dados de seus usuários. A mais recente foi a alteração de normas de serviço do WhatsApp: a empresa exige que os usuários permitam o compartilhamento de dados com o Facebook para continuar acessando o aplicativo. Entretanto, a novidade não foi bem recebida, refletindo-se em uma fuga em massa de adeptos a rede social. Devido à queda do uso, a medida foi adiada para o dia 15 de maio.

LEIA TAMBÉM | Whatsapp: o que acontece com quem não compartilhar dados com Facebook