PUBLICIDADE
Tecnologia
Noticia

Wikipédia completa 20 anos: como funciona a maior enciclopédia do mundo

A plataforma completa duas décadas como a realização de um sonho que tem dado certo: são mais de 55 milhões de artigos em mais de 300 idiomas

Leonardo Igor
08:10 | 15/01/2021
Wikipédia chega a duas décadas como um dos sites mais acessados do mundo, a frente da Netflix e do Instagram (Foto: Lionel Bonaventure/AFP)
Wikipédia chega a duas décadas como um dos sites mais acessados do mundo, a frente da Netflix e do Instagram (Foto: Lionel Bonaventure/AFP)

O Século das Luzes foi iluminado por uma enciclopédia. Conhecido como o tempo do Iluminismo no Velho Continente, aquele século XVIII foi coroado por 17 volumes de um verdadeiro calhamaço de informações, a Encyclopédie, editada pelos franceses Jean le Rond D’Alambert e Denis Diderot, uma das primeiras enciclopédias da humanidade. Foi um trabalho prodigioso: mais de 71 mil artigos, de arte a ciências; mais de 2.800 ilustrações; 21 anos de publicação. Segundo Diderot, seu sonho era reunir naquelas páginas “todo o conhecimento existente na face da Terra”. Naturalmente, apesar do esforço faraônico, todo o conhecimento da Terra não foi reunido naqueles volumes da Encycplopédie. Porém, talvez, ele esteja a caminho de ser reunido, neste século XXI, nas páginas da Wikipédia.

Nesta sexta-feira, 15 de janeiro, a enciclopédia livre e online chamada Wikipédia completa 20 anos de fundação. Hoje, possui artigos em mais de 300 idiomas. São mais de 55 milhões de verbetes e mais de 280 mil editores colaborando. Segundo a empresa de análise de dados Alexa Internet, é o décimo terceiro site mais acessado do mundo, à frente da Netflix, do Instagram ou do Reddit. Tem mais de 15 bilhões de acessos mensais, conforme levantamento próprio - a cada segundo, pelo menos seis mil pessoas acessam a plataforma.

Seu modelo difere radicalmente das big techs do Vale do Silício. Não há publicidade nas páginas, a organização é mantida por doações. Não há um um dono bilionário ou grupos de acionistas. Todo o conteúdo adicionado ali é público, isto é, pode ser reproduzido, dos textos às imagens. Qualquer um pode contribuir. Seus quadros são compostos de voluntários organizados em uma estrutura que se propõe horizontal, e são estes colaboradores que fiscalizam as edições, os vandalismos - o ato de alterar propositalmente um verbete para inserir informações falsas ou caluniosas - e até decidem as regras de publicação.

Conforme classifica a The Economist, uma das principais publicações jornalísticas do mundo, a Wikipédia é “um sonho que funcionou”. Ainda assim, além do crescimento exponencial e popularidade incontestável, a Wikipédia não está livre da desconfiança. A despeito de não sofrer dos problemas de compartilhamento de informação falsa em massa, como YouTube ou Whatsapp, há uma impressão generalizada de que o conteúdo da enciclopédia online carece de credibilidade ou profundidade. De fato, há problemas como as guerras de edição, quando grupos opostos procuram alterar verbetes sobre temas sensíveis ou indivíduos em voga para fazer prevalecer determinada visão.

São problemas no radar da Wikipédia e, de modo geral, rapidamente resolvidos. Somente em 2020, em plena corrida eleitoral, o verbete do então candidato à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos (Psol), foi editado 40 vezes. Algumas alterações promoviam a biografia do psolista, outras maculavam. O mesmo ocorreu com Bruno Covas (PSDB), prefeito reeleito da capital paulista. Seu verbete na plataforma foi editado 35 vezes. Celso Russomano, durante o período que liderou a corrida pela cidade mais rica do país, teve sua página na enciclopédia editada 31 vezes. Todas as alterações acima foram revertidas logo pelos editores.

Para combater problemas como esse, o grupo de editores votou por exigir um login para qualquer um interessado em realizar edição. Antes, era possível mexer nos verbetes sem maior identificação que o IP do usuário.

Fontes na Wikipédia

Como enciclopédia, a Wikipédia é uma fonte terciária. Ou seja, é escrita com base em informações externas de fontes secundárias, que são disponibilizadas para verificação. Para qualquer artigo permanecer no ar, deve ter pelo menos duas fontes fiáveis. São proibidas as pesquisas inéditas, aquelas que não foram analisadas por ninguém, desenvolvidas por diletantes como “inserir num artigo uma teoria pessoal sobre a adolescência de Jesus”, exemplifica a plataforma em seu compêndio de normas.

Em vários aspectos, os padrões para publicação de artigo na Wikipédia são semelhantes aos da produção acadêmica
Em vários aspectos, os padrões para publicação de artigo na Wikipédia são semelhantes aos da produção acadêmica (Foto: Lionel Bonaventure/AFP)

Há, enfim, uma infinidade de regras e orientações para editar e fazer parte da comunidade da Wikipédia. O próprio poder dos editores é regido por regras acordadas por todos. Quando há disputa em torno de um artigo, é aberta uma discussão. Todas as perguntas devem ser respondidas. Sempre que possível, em vez de apagar um artigo, revisar e editar.

Quanto à profundidade, embora enciclopédias em geral tragam apanhado de informações, elas costumam servir como porta de entrada para acessar um tema ou uma fonte de conhecimento. Grandes artigos da Wikipédia devem ser referenciados por fontes fiáveis - assim mesmo, no plural, mais de uma fonte -, muitas vezes seguindo padrões semelhantes aos utilizados na produção de conteúdo acadêmico, com notas de rodapé, citações e hiperlinks para as referências. A multiplicidade de pontos de vista é encorajada e exigida, sobretudo em temas de forte dissenso.

Avaliações do conteúdo

Como forma de avaliação da qualidade dos conteúdos, a plataforma classifica uma página com estrela prata, que significa que o artigo é bom, e uma estrela dourada, que aponta aquele conteúdo como destacado. São ícones dispostos no canto superior direito das páginas. Ainda há o símbolo da caneta, que significa que o artigo está em auditoria, sendo revisado; e o símbolo do “x”, para apontar que aquela página perdeu o status.

É baseada nesta ideia de aprofundar o conteúdo que a professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Flávia Varella, desenvolveu o projeto de extensão Teoria da História na Wikipédia. A ideia do projeto é usar a plataforma - um espaço de fácil acesso - para divulgação do conhecimento. Alunos e professores trabalham construindo e revisando artigos com temas como teoria da história, historiografia, história intelectual e afins.

Atualmente, há mais de um milhão de verbetes na Wikipédia escritos na língua portuguesa. Desse total, 1.219 têm a estrela dourada. Isto é, um artigo a cada 863 tem qualidade excepcional, com profusão de fontes, revisão, referências. Desse seleto grupo, sete artigos foram escritos no projeto conduzido pela professora Flávia Varella: “São conteúdos de excelência, considerados conteúdos de excelência. É uma votação aberta, vão lá, analisam, fazem sugestões. Se você se depara com um verbete destacado, é um conteúdo significativo. Não tem por que nivelar por baixo, ‘ah, por que está na Wikipédia é ruim’, não”.

“Uma vez fui dar uma palestra lá na UFRGS [Universidade Federal do Rio Grande do Sul] e o professor Benito Schmidt, que estava presente, inclusive disse que usava um dos nossos verbetes, o de história pública, como o primeiro texto no mestrado profissional”, revela a docente sem esconder o orgulho.

“Quando ingressei na UFSC em 2015, pensei muito na minha experiência como aluna e achava que as avaliações deviam ser feitas de uma maneira que a gente pudesse aproveitá-las. Porque muito conhecimento é feito dentro da universidade e acaba não sendo aproveitado. Muitas vezes só são lidos por uma pessoa, o professor. Minha ideia era que esse resultado das disciplinas pudesse ser lido por outras pessoas”, explica Varella, cujo grupo trabalha atualmente na construção de mais cinco verbetes de qualidade.

Monumento à Wikipédia erguido na cidade de Slubice, na Polônia
Monumento à Wikipédia erguido na cidade de Slubice, na Polônia (Foto: Reprodução/Wikicommons)

Na instituição, o projeto é conhecido e bem recepcionado, tanto por estudantes quanto pelos colegas docentes. É diferente, por exemplo, da recepção que a plataforma tem entre professores dos ensinos fundamental e médio. “É muito comum essa tentativa dos professores de falarem pros alunos não consultarem a Wikipédia. Mas se a gente comparar a Wikipédia com muitos sites de conteúdo, muitos deles sequer adotam referências, bibliografia. Ela é, digamos assim, dos males o menor”, considera a professora universitária.

“Muitas vezes o professor não quer que o aluno veja a Wikipédia para ele não copiar o conteúdo, dar um Ctrl+C, Ctrl+V. Mas eles podem trabalhar com a Wikipédia para entender o que é plágio, o que é um verbete confiável. Para escrever um pedaço de um artigo, um verbete, um aluno vai ter que ler algum texto sobre o assunto. Então esse trabalho de transformar o texto de outro para a Wikipédia, é um trabalho para entender o que é plágio. Muita gente acha que não plagiar é só referenciar. Não é isso. É escrever de outra forma, referenciar, como referenciar. E também, o aluno entender o que são fontes confiáveis. Então, melhor que proibir o uso da Wikipédia é ensinar como ler a Wikipédia”, avalia.

Há anos, a plataforma tem aprimorado padrões e feito aliados de peso no caminho. Um deles é o Google, que há anos exibe informações da Wikipédia no topo das páginas de pesquisa. O uso da Wikipédia como fonte de informação e combate a fake news também é adotado por empresas como Amazon e Apple, cujas assistentes virtuais, Alexa e Siri, respondem às dúvidas dos usuários com base em dados da enciclopédia.

Recentemente, em meio à pandemia do coronavírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) firmou uma parceria com a enciclopédia virtual para exibir informações sobre o vírus na plataforma, em um esforço que a agência considerou como vital para combater a “infodemia” (jogo de palavras com ‘informação’ e ‘pandemia’) de notícias falsas que vêm dificultando o combate à doença e o cumprimento das medidas de distanciamento social. Aliás, a decisão da OMS de trabalhar com a Wikipédia, segundo a The Economist, reflete o resultado de diversas pesquisas que apontam a plataforma como a mais lida do mundo por usuários em busca de informações médicas.

Diante da musculatura da enciclopédia e sua boa fama entre as companhias de tecnologia mais importantes, por que ela continua a despertar tanta resistência na sala de aula e é goza de fama dúbia entre parcelas da população? Provavelmente, a resposta está no modelo de contribuição, onde qualquer cadastrado pode adicionar informações, desde que cumpram os padrões. Justamente por isso, a própria enciclopédia aponta em sua página que citar um verbete em um trabalho acadêmico pode não ser aceito, já que a Wikipédia “não é uma fonte confiável”, porque qualquer um pode editar as referências.

Outra questão em torno do site é o perfil dos produtores de conteúdo. Como aponta a professora Flávia Varella, é preciso haver maior diversidade em quem escreve e de onde escreve. Em levantamento da Wikimedia Foundation de 2018, pelo menos 90% dos voluntários da plataforma eram homens. Atualmente, por exemplo, as maiores seções são escritas em línguas de países ocidentais. De longe, o maior número de artigos está em inglês. A seguir, respectivamente, o alemão, o francês, o italiano e o espanhol.

Questões raciais

As questões raciais são um ponto de inflexão sobre o qual a plataforma tem se debruçado nos últimos anos. Em 2015, o então presidente da fundação que gere a Wikipédia, James Hare, afirmou que a maior parte dos artigos sobre história da população negra e história dos países africanos foi escrito por editores brancos da América do Norte e da Europa. Um dos campos de batalha, por exemplo, foi o artigo sobre o assassinato do afro-americano George Floyd, em maio de 2020, por um policial branco que o asfixiou com o joelho por mais de nove minutos.

O verbete foi editado mais de 400 vezes e as edições revertidas tanto quanto. A discussão foi intensa - muitos editores apontavam que, sem a conclusão judicial do caso, o correto seria usar o termo “morte” para se referir ao óbito; outros apontavam que o correto seria o emprego da palavra “assassinato”. Prevaleceu o uso desta última palavra. O debate, no entanto, é maior e diz respeito ao “princípio da neutralidade” previsto nas normas da enciclopédia.

Neste tópico, a Wikipédia diz: a) fatos devem ser apresentados como tais; b) nenhum artigo pode conter referências a opiniões sem que primeiro sejam apresentados argumentos incontestáveis; c) as opiniões devem ser apresentadas como tal, ou seja, uma opinião deve ser classificada como opinião e deve ser atribuída; d) nos temas controversos, sempre que possível, devem ser apresentados os pontos de vista de todos os campos em disputa. E, no entanto, como diversificar as opiniões com um perfil fechado de editores e produtores?

Maratona de edição em artigos da Wikipédia realizada no mês da Consciência Negra na Howard University, historicamente frequentada por negros
Maratona de edição em artigos da Wikipédia realizada no mês da Consciência Negra na Howard University, historicamente frequentada por negros (Foto: Howard University)

Diversidade de autores

A mobilização em torno do aumento da diversidade no perfil de colaboradores da Wikipédia deu origem a movimentos como a “editatona” (editar + maratona), em que grupos se reúnem para trabalhar em artigos específicos. A Howard University, uma universidade historicamente frequentada por negros nos Estados Unidos, já organizou editatonas com alunos e professores para ampliar, revisar, criar artigos relacionados à população negra. A prática tem sido usual, principalmente por grupos considerados sub-representados ou para trabalhar com temas que recebem menos atenção.

Aliás, a participação de instituições de ensino ou periódicos na construção da Wikipédia se tornou uma iniciativa contínua. Em 2018, a revista Nature, mais importante de publicação de divulgação científica do mundo, anunciou uma maratona de edição de artigos sobre mulheres cientistas. No Brasil, o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática (NeuroMat), mantido pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e sediado na Universidade de São Paulo (USP), tornou-se a maior instituição no mundo em geração de conteúdo matemático para a Wikipédia.

“Fazer essas maratonas de edição, incentivar esses outros públicos, o próprio público feminino a editar a plataforma, para ter outras coberturas, ter outra visão além desses editores [atuais]. Esse deveria ser o futuro da Wikipédia. Cada vez mais abrir espaço para essas visões, esses novos agentes editores”, avalia Flávia Varella, parte deste movimento organizado de edição da plataforma com o projeto Teoria na História.
Hoje, crescendo espontaneamente em número de artigos e de idiomas, a Wikipédia é o mais próximo que a humanidade chegou do sonho de Diderot de reunir todo o conhecimento. Na verdade, para Varella, a plataforma chega a ultrapassar este ideal.

“Vai muito além desse sonho. Ela faz isso e entrega muito mais. Ela é baseada em um modelo que qualquer um pode ter acesso. Se a gente pensa na enciclopédia do século XVIII, quem tinha acesso a isso? Um público muito restrito. A Wikipédia extrapola, ela é livre, gratuita, qualquer um pode ler. E não só, ela extrapola no próprio conjunto, no número de verbetes, infindável, todo dia é atualizado. É qualquer coisa, se quiser ler um verbete sobre a música do momento, ele está na Wikipédia. Ela é muito mais plural. Ela faz mais pelo leitor do século XXI”, conclui.

Aos 20 anos, sendo um dos sites mais acessados do mundo, a Wikipédia mantém ainda hoje os princípios fundadores da plataforma: ser digital, aberta e disponível para colaboração de qualquer um. Inclusive, deixa por escrito em seu site para não haver dúvida entre novos - e bem-vindos - colaboradores: “Você não corre o risco de estragar a Wikipédia. Tudo o que fizer pode ser depois revertido e corrigido”.

Linha do tempo da Wikipédia

  • 15 de janeiro de 2001: fundação da Wikipédia
  • 2003: é formada a Wikimedia Foundation, o grupo responsável por gerir a enciclopédia
  • 2006: Wikipédia chega a 1 milhão de artigos em inglês
  • 2008: Plataforma alcança 10 milhões de artigos, escritos em mais de 250 idiomas
  • 2017: Wikipédia chega a ser o quinto site mais acessado do mundo
  • 2018: A Wikipédia lusófona, versão em língua portuguesa da plataforma, alcança 1 milhão de artigos
  • 2019: A enciclopédia chega a 50 milhões de artigos, escritos em mais de 300 idiomas

 

Jimmy Wales, um dos fundadores da Wikipédia em 2001
Jimmy Wales, um dos fundadores da Wikipédia em 2001 (Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)

Regras de edição

Login: é preciso criar uma conta para produzir ou editar verbetes

Nivelamento de conteúdo: a plataforma deixa claro que os verbetes não devem ser escritos com profusão de detalhes técnicos; a ideia é ser acessível a todos os públicos

Respeito a direitos autorais: quase todo o conteúdo da Wikipédia é livre para reutilização e distribuição. Consequentemente, não são aceitos com restrição de direitos autorais.

Uso de citações: para um artigo ficar no ar, deve ter mais de uma fonte confiável e que tenha sido publicada anteriormente; as fontes e citações devem ser passíveis de verificabilidade, isto é, que possam ser acessadas e checadas por terceiros

Imparcialidade: os artigos devem ser imparciais tanto no tom quanto no conteúdo; a opinião do colaborador não é um fato e não deve ser incluída

Pontos de vista: a multiplicidade de pontos de vista deve estar presente nos textos; cada ponto de vista recebe um peso proporcional à sua relevância, mas não um peso igual 

O que a Wikipédia não é

A Wikipédia é uma enciclopédia online e unicamente digital, bem como uma comunidade de colaboradores. Por sua extensão, muitas vezes é utilizada de modo indevido. A própria plataforma esclarece o que a Wikipédia não é:

- A Wikipédia não é uma fonte primária de dados, é uma fonte terciária

- A Wikipédia não é uma plataforma de divulgação: “Se deseja publicar uma nova ideia, faça-o por outros meios. A Wikipédia aceitará seu trabalho quando se tiver tornado conhecido”

- A Wikipédia não é um dicionário nem guia gramatical

- A Wikipédia não é um jornal: em suas diretrizes, a enciclopédia informa que não deve oferecer notícias de primeira mão sobre eventos recentes.

- A Wikipédia não é um fórum de discussões: “Por favor, lembre-se que a Wikipédia é apenas uma enciclopédia. Não exija mudanças no seu país, na sociedade e no mundo através da Wikipédia, nem procure assistência médica num artigo relacionado com medicina”.