PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Universitária descobre 17 novos planetas, sendo um do tamanho da Terra

A estudante já havia descoberto outros quatro planetas durante sua graduação

23:29 | 01/03/2020
Michelle Kunimoto estuda Astronomia na University of British Columbia
Michelle Kunimoto estuda Astronomia na University of British Columbia (Foto: Twitter)

Uma universitária descobriu 17 novos planetas, incluindo um potencialmente habitável e do tamanho da Terra, durante uma análise de dados coletados pela missão Kepler da Nasa. Michelle Kunimoto tem 17 anos e é estudante de Astronomia da University of British Columbia, localizada no Canadá, e uma das mais renomadas do mundo. A descoberta foi publicada na revista científica The Astronomical Journal. 

O planeta, batizado de KIC-7340288 b, corresponde a uma vez e meia o tamanho da Terra. Isso significa que ele é pequeno o suficiente para ser considerado rochoso, mesma categoria onde se encontra a Terra. Durante os anos da missão Kepler, o satélite procurou planetas que poderiam vir a ser consideráveis na Zona Habitável.

"Este planeta está a cerca de mil anos-luz de distância, então não chegaremos lá tão cedo. Mas ainda assim, é uma descoberta realmente empolgante já que apenas 15 planetas confirmados na Zona Habitável foram encontrados nos dados do Kepler até agora" disse a estudante.

O raro planeta tem um ano de 142 dias e meio de duração, e sua órbita é um pouco maior que a de Mercúrio. Ele recebe cerca de um terço da luz que a Terra recebe do Sol e soma-se a outros 16 novos planetas descobertos por Michelle. O restante varia em tamanhos de até oito vezes o da Terra.

A estudante já havia descoberto outros quatro planetas durante sua graduação por meio do "método de trânsito": toda vez que um planeta passa na frente de uma estrela, ele bloqueia uma parte da luz e causa uma diminuição temporária de seu brilho. "Ao encontrar isso, você pode começar a reunir informações sobre o planeta, como seu tamanho e quanto tempo leva para orbitar", diz. Para a pesquisadora, o próximo passo é estimar quantos planetas são parecidos com a Terra.