PUBLICIDADE
Notícias

Plataforma online orienta ONGs com cursos e artigos para captar recursos

Os brasileiros costumam dar dinheiro mais para pedintes e para igreja do que para ONGs. É o que mostra a pesquisa realizada em 2014 pelo IDIS

20:01 | 16/09/2016
NULL
NULL

[FOTO1]Uma plataforma online visa orientar Organizações Não Governamentais (ONGs) a captar recurso para a manutenção de suas atividades. Lançada nesta quarta-feira, 14, pela Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), o Captamos oferece um espaço com notícias, artigos, infográficos, histórias entre outros recursos para que as instituições possam receber orientações para a captação de recursos. O desenvolvimento da plataforma teve início abril de 2015 com intuito de promover iniciativas para estimular a cultura de doação no País.

 

Para o diretor executivo da ABCR, João Paulo Vergueiro, o Brasil ainda se encontra tímido na captação de recursos se for comparado com outros países. Além disso, quase um quarto do total de ONGs possuem uma fonte de capital fixo. “A estimativa é de que hoje existam cerca de 300 mil ONGs no País e somente 24% delas tenham área de captação de recursos estabelecida. Isso dificulta a manutenção de projetos importantes”, afirmou. Além disso, conforme as informações do Instituto para Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), as doações individuais no País para ONGs totalizaram mais de R$ 13 bilhões. Entretanto, o valor ainda é menor se olhar para arrecadação de outros países, como os Estados Unidos que corresponde a R$ 1 trilhão.

[SAIBAMAIS]

Outra questão também que influencia na baixa arrecadação de verbas por partes das organizações da sociedade civil é que os brasileiros costumam dar dinheiro mais para pedintes e para igreja do que para ONGs. É o que mostra a pesquisa realizada em 2014 pelo IDIS. Segundo os dados, apenas 14% das pessoas destinam suas doações em dinheiro para as instituições, enquanto 60% corresponde a igrejas e pedintes. Para Paula Jancso Fabiani, diretora executiva do IDIS, esse resultado deve-se a percepção dos brasileiros de acreditarem que programas sociais estão solucionando alguns problemas da sociedade.

 

“O aumento da renda média da população não parece estar refletida no percentual da população que doa. Um dos motivos que pode explicar essa tendência é a percepção do brasileiro de que o governo está preenchendo essa lacuna, com políticas de transferências de renda, como o Bolsa Família”, disse Paula. Além disso, cerca de 85% dos brasileiros entrevistados alegaram que nunca receberam pedidos de doações vindo de organizações nos últimos 12 meses. “Números indicam que também falta a ‘cultura de pedir’ por parte de quem precisa dos recursos. Esse resultado reforça a percepção de que há muito espaço para o crescimento das doações, a partir de um trabalho de captação estruturado e persistente”, concluiu.

 

Notícias e artigos estão sendo disponíveis semanalmente na plataforma. Já os infográficos e cursos com duração de até 40 minutos são mensais. As organizações interessadas em participar do Captamos basta realizar a inscrição gratuitamente no site e conferir as dicas e orientações para a captação de recursos. Além disso, o usuário pode contribuir com as informações da plataforma enviando informações e interações em tempo real por meio dos fóruns de discussão. 

Redação O POVO Online

TAGS