Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Butantan entrega 5,1 milhões de doses da CoronaVac ao governo

14:53 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Instituto Butantan enviou hoje (15), ao Ministério da Saúde, mais 5,1 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19, produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Com isso, o governo paulista informa ter cumprido o contrato com o Ministério da Saúde para a entrega de 100 milhões de doses desse imunizante, com uma antecedência de 15 dias.

Pelo contrato, o Ministério da Saúde deve receber 100 milhões de doses da CoronaVac até o dia 30 de setembro. Há meses, o governo paulista informava nas coletivas à imprensa que iria entregar o montante até o final de agosto. Mas não conseguiu cumprir esse prazo de adiantamento.

O problema nessa totalização informada pelo Butantan é que 8 milhões de doses da vacina foram interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por terem sido produzidas em uma nova fábrica da Sinovac, que ainda não havia sido inspecionada pelo órgão.

Como essas doses ainda não podem ser aplicadas até que a Sinovac comprove à Anvisa a segurança da produção, o governo de São Paulo decidiu ontem (14) substituir as vacinas. Hoje, o Butantan encaminhou também 1,8 milhão de doses extras para substituir as vacinas que foram interditadas, produzidas a partir de insumo farmacêutico ativo (IFA) enviado pela Sinovac.

Na semana que vem, segundo o instituto, chegará um novo lote de 5 milhões de doses prontas produzidas na fabrica da Sinovac que já foi vistoriada pela Anvisa.

A previsão do Butantan é conseguir substituir todas essas doses interditadas até o dia 29 de setembro.

Meta de vacinação

Em entrevista hoje (15) à imprensa, o governador de São Paulo, João Doria, informou que o estado paulista ultrapassou a meta de vacinação contra a covid-19 em idosos acima de 60 anos, com o esquema de imunização completo. Segundo o governo, mais de 7,3 milhões de pessoas nessa faixa etária estão protegidos contra a doença.

No público acima de 65 anos, foi atingido 100% de cobertura vacinal em todas as estratificações. Já na faixa de 60 a 64 o percentual foi de 93,5%, também acima da meta definida da campanha, que é de ao menos 90% do público-alvo. Agora, o estado começa a vacinar os idosos que concluíram seu esquema vacinal há seis meses com uma dose adicional, já que a proteção tende a cair após esse período.

No decorrer de toda a campanha, iniciada em janeiro de 2021, São Paulo aplicou mais de 57,9 milhões de doses. O número soma 35,92 milhões de aplicações de primeira dose, 20,79 milhões de segunda e 1,15 milhão de dose única, além de 111,6 mil de doses de reforço. O total de pessoas que completou o esquema vacinal no estado é hoje de 47,4%.

Redução de mortes com CoronaVac

O governo de São Paulo apresentou hoje dados, informando que a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e a Sinovac, reduziu em 88% as mortes de pessoas com mais de 70 anos no Brasil.

Os dados do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) do Ministério da Saúde indicam que a média semanal de mortes por covid-19 entre as pessoas com 70 anos ou mais caiu de 1.316 por dia em 28 de março para 164 em 20 de agosto. A queda de 88% considera todo o território nacional.

Se consideradas apenas as estatísticas de São Paulo, o resultado é semelhante, com redução de 86% no número de óbitos. A média semanal de mortes por covid-19, entre pessoas com mais de 70 anos no estado, caiu de 353 por dia em 28 de março, para 51 em 20 de agosto.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Butantan entrega 5,1 milhões de doses da CoronaVac ao MS

Saúde
14:38 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Instituto Butantan enviou hoje (15), ao Ministério da Saúde, mais 5,1 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19, produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Com isso, o governo paulista informa ter cumprido o contrato com o Ministério da Saúde para a entrega de 100 milhões de doses desse imunizante, com uma antecedência de 15 dias.

Pelo contrato, o Ministério da Saúde deve receber 100 milhões de doses da CoronaVac até o dia 30 de setembro. Há meses, o governo paulista informava nas coletivas à imprensa que iria entregar o montante até o final de agosto. Mas não conseguiu cumprir esse prazo de adiantamento.

O problema nessa totalização informada pelo Butantan é que 8 milhões de doses da vacina foram interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por terem sido produzidas em uma nova fábrica da Sinovac, que ainda não havia sido inspecionada pelo órgão.

Como essas doses ainda não podem ser aplicadas até que a Sinovac comprove à Anvisa a segurança da produção, o governo de São Paulo decidiu ontem (14) substituir as vacinas. Hoje, o Butantan encaminhou também 1,8 milhão de doses extras para substituir as vacinas que foram interditadas, produzidas a partir de insumo farmacêutico ativo (IFA) enviado pela Sinovac.

Na semana que vem, segundo o instituto, chegará um novo lote de 5 milhões de doses prontas produzidas na fabrica da Sinovac que já foi vistoriada pela Anvisa.

A previsão do Butantan é conseguir substituir todas essas doses interditadas até o dia 29 de setembro.

Meta de vacinação

Em entrevista hoje (15) à imprensa, o governador de São Paulo, João Doria, informou que o estado paulista ultrapassou a meta de vacinação contra a covid-19 em idosos acima de 60 anos, com o esquema de imunização completo. Segundo o governo, mais de 7,3 milhões de pessoas nessa faixa etária estão protegidos contra a doença.

No público acima de 65 anos, foi atingido 100% de cobertura vacinal em todas as estratificações. Já na faixa de 60 a 64 o percentual foi de 93,5%, também acima da meta definida da campanha, que é de ao menos 90% do público-alvo. Agora, o estado começa a vacinar os idosos que concluíram seu esquema vacinal há seis meses com uma dose adicional, já que a proteção tende a cair após esse período.

No decorrer de toda a campanha, iniciada em janeiro de 2021, São Paulo aplicou mais de 57,9 milhões de doses. O número soma 35,92 milhões de aplicações de primeira dose, 20,79 milhões de segunda e 1,15 milhão de dose única, além de 111,6 mil de doses de reforço. O total de pessoas que completou o esquema vacinal no estado é hoje de 47,4%.

Redução de mortes com CoronaVac

O governo de São Paulo apresentou hoje dados, informando que a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e a Sinovac, reduziu em 88% as mortes de pessoas com mais de 70 anos no Brasil.

Os dados do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) do Ministério da Saúde indicam que a média semanal de mortes por covid-19 entre as pessoas com 70 anos ou mais caiu de 1.316 por dia em 28 de março para 164 em 20 de agosto. A queda de 88% considera todo o território nacional.

Se consideradas apenas as estatísticas de São Paulo, o resultado é semelhante, com redução de 86% no número de óbitos. A média semanal de mortes por covid-19, entre pessoas com mais de 70 anos no estado, caiu de 353 por dia em 28 de março, para 51 em 20 de agosto.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Estudo sobre proteção da CoronaVac acompanha 5 mil vacinados em Manaus

Saúde
13:53 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após seis meses de acompanhamento, pesquisadores divulgaram resultados de um estudo sobre a CoronaVac que está em andamento em Manaus. Conforme dados divulgados nesta terça-feira (14), entre 5 mil pessoas com comorbidades vacinadas com a CoronaVac em Manaus, 0,1% precisaram ser hospitalizadas devido à covid-19.

A pesquisa, chamada CovacManaus, conta com voluntários de 18 a 49 anos que trabalham na educação e segurança pública.

O estudo aplicou cerca de 10 mil doses doadas pelo Instituto Butantan. Ao todo, 5.087 pessoas receberam a primeira dose, e 5.071, a segunda. Entre os participantes da pesquisa, 72% tinham obesidade, 54% sofriam de diabetes, 36%, de hipertensão arterial e 27% eram imunossuprimidos.

Dados divulgados pela Agência Fiocruz de Notícias mostram que, entre os participantes, 2,6% tiveram infecções sintomáticas por covid-19 depois da imunização. Em 0,1%, o caso evoluiu para hospitalização e, em 0,04%, houve necessidade de leito de terapia intensiva (UTI). No universo de cerca de 5 mil vacinados, 0,02% morreram de covid-19.

A pesquisa indica que 91% dos vacinados apresentaram anticorpos detectáveis após a primeira dose, e 99,8%, após a segunda.

O coordenador do estudo, Marcus Lacerda, pesquisador do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), destaca que o monitoramento é continua e que os participantes  devem comparecer para fazer a coleta de exames em data agendada, o que permitirá, entre outras pontos, avaliar a necessidade de dose de reforço.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fortaleza vacina todos os adolescentes cadastrados e inicia repescagem

saúde
13:30 | Set. 15, 2021
Autor Júlia Duarte
Foto do autor
Júlia Duarte Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Prefeitura de Fortaleza anunciou nesta quarta-feira, 15, que finalizou a vacinação contra Covid-19 de todos os adolescentes de 12 a 17 anos cadastrados no município até ontem, terça-feira, 14. Com isso, a gestão inicia já amanhã a chamada dos adolescentes que perderam o primeiro agendamento, além de dar sequência a mesma estratégia para a população adulta, entre 18 e 39 anos. 

Segundo o Integrasus, da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), Fortaleza tinha até ontem 185.707 adolescentes dessa faixa etária cadastrados, com a confirmação de e-mail realizada. O coordenador da Rede de Atenção Primária e Psicossocial, Erlemus Soares, esclareceu que os adolescentes que ainda não se cadastraram vão ser chamados normalmente. Até esta quarta, 15, atualização mostra 186.112 adolescentes cadastrados. 

As novas pessoas cadastradas seguem com agendamento por meio do nome nas listagens diárias, agendamento no Vacine Já e pelo aplicativo Mais Saúde Fortaleza, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). "Não precisa ficar assustado se você fez seu cadastro hoje. Concomitante, a gente estará chamando tanto a repescagem como os novos cadastros. Não precisa se preocupar, vamos estar fazendo essa chamada", ressaltou ele.

De acordo com o coordenador, a repescagem dos adolescentes vai iniciar de forma decrescente, começando com a faixa de 16 e 17 até alcançar o mais novos, de 12 anos. O público com 40 anos ou mais que ainda não se vacinou pode ir a qualquer centro de vacinação contra a Covid-19 sem precisar de agendamento para receber a D1. É preciso realizar apenas o cadastro no Saúde Digital e ter recebido confirmação via e-mail.

LEIA MAIS | Após desgaste, Sarto recua e inclui métodos contraceptivos em lei que cria campanha contra o aborto

Para quinta-feira, 16, a gestão agendou cerca de 28 mil pessoas, já com a repescagem de adolescentes, bem como da população adulta e a aplicação de segundas doses. Já para a sexta-feira, 17, serão chamadas 29 mil fortalezenses. "Não perca a chance de se imunizar. Não perca a chance de proteger você e sua família", pontuou ainda o titular.  

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ministro acompanha envio de vacinas contra covid-19 para estados

Saúde
13:18 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, elogiou hoje (15), o Programa Nacional de Imunização (PNI), ao acompanhar, no Aeroporto Internacional de Guarulhos,  o envio dos lotes com 1,1 milhão de doses que completam 100% das primeiras remessas da vacina contra covid-19 para toda população adulta brasileira. Segundo ele, a vacinação contra a covid-19 no país está sendo um sucesso, já que campanha de vacinação é algo que o Brasil faz como nenhum país do mundo, já que tem uma tradição extraordinária no tema.

“Hoje nós já atingimos mais 260 milhões de doses de vacina distribuídas. Mais de 210 milhões de brasileiros já receberam a vacina, mais de 90% da população brasileira acima de 18 anos está vacinada com a primeira dose e mais de 50% com as duas doses. Isso porque foi feito todo este trabalho que começou em maio de 2020, quando pedimos a transferência de tecnologia do laboratório AstraZeneca para a Fiocruz e quando adquirimos vacinas por meio da Covax Facility. Hoje o Brasil já tem mais de 550 milhões de vacinas contratadas”, disse Queiroga.

De acordo com o ministro, todos os brasileiros estarão vacinados até o final de 2021. “Como eu disse o PNI é a grande ferramenta para aplicar as vacinas na população e é por isso que todos os estados devem seguir junto com os municípios as recomendações técnicas do programa. É a fórmula para que tenhamos sucesso na campanha. Já estamos tendo sucesso. Já reduzimos de maneira drástica o número de casos e de óbitos.

O ministro explicou que se o país caminhar com base na orientação científica e se as recomendações do PNI forem seguidas à risca por estados e municípios, sem cada um criando seu próprio modelo, o país acabará com o caráter pandêmico da covid-19. “E eu tenho certeza de que nós vamos sair muito mais fortes da pandemia da covid-19”.

Ouça na Radioagência Nacional

Assista também na TV Brasil

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Representantes de 15 partidos devem participar de "Vigília da democracia" em São Paulo

Política
13:02 | Set. 15, 2021
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Membros de pelo menos 15 partidos, de variados espectros políticos, devem participar nesta quarta-feira, 15, de um ato intitulado “Em vigília da democracia brasileira”, em São Paulo. Entre os confirmados, estão lideranças como Gleisi Hoffmann (PT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), o deputado federal Alessandro Molon (PSB) e a senadora Simone Tebet (MDB).

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL), também deve participar. Integrantes de outras legendas, como PDT, PSD, Psol, Podemos, PSDB, PV, PSL, Rede, PCdoB, PL e Cidadania devem participar do evento promovido pelo movimento Direitos Já! e marcado para iniciar às 18 horas. A informação é da coluna Radar, da Veja

O ato terá transmissão nas redes sociais e acesso limitado, contando apenas com lideranças políticas e a imprensa para fins de divulgação.

Veja quem deve participar do ato desta quarta-feira:

Alessandro Molon (PSB), líder da oposição na Câmara dos Deputados
Gleisi Hoffmann (PT), presidente nacional do partido e deputada federal
Luiz Henrique Mandetta (DEM), ex-ministro da Saúde e presidenciável
Marcelo Ramos (PL), vice-presidente da Câmara dos Deputados
Simone Tebet (MDB), senadora cotada como pré-candidata à Presidência
Antonio Neto (PDT), presidente municipal do partido em São Paulo
José Aníbal (PSDB), senador
José Luiz Penna (PV), presidente nacional da legenda
Roberto Freire (Cidadania), presidente nacional do partido
Luciana Santos (PCdoB), vice-governadora de Pernambuco
Igor Soares (Podemos), prefeito de Itapevi (SP)
Fernanda Melchionna (Psol), deputada federal
Junior Bozzella (PSL), deputado federal
Fabio Trad (PSD), deputado federal
Heloísa Helena (Rede), ex-senadora

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags