Participamos do

Postura inadequada e longas horas diante do computador podem causar lesões

|Home office| Especialistas alertam para a importância dos cuidados com a postura e a realização de atividades físicas, além da atenção com o local apropriado para trabalhar e assistir aulas
01:30 | Mai. 30, 2021
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A pandemia do coronavírus impôs mudanças sociais no modelo de vida adotado durante os últimos anos. Comércios foram fechados, eventos culturais cancelados e o trabalho de casa passou a fazer parte do "novo normal" para aqueles que conseguiram sustentar seus empregos por meio de adaptações.

O modelo "home office", que se apresenta como o melhor caminho durante o período pandêmico, já que preza por manter o distanciamento entre as pessoas e, assim, evitar a propagação do vírus, também apresenta problemas. É o que conta Sandra Carla dos Santos, 34, servidora pública.

"Estou sentindo e sinto desde o início do home office muitos incômodos. Sinto dores, tive um problema gravíssimo de dor no braço. Eu passei por dores horríveis, tanto no meu braço, que adormecia durante o trabalho, por ficar naquela posição repetitiva, como também acordava de madrugada com dores estranhas, meu braço parecia que estava pegando fogo ou sendo cortado", relata.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Sandra conta que buscou ajuda profissional de um fisioterapeuta para tentar solucionar o problema. A servidora explica que exercícios físicos estão ajudando a reverter o quadro.

"Com os exercícios que ele me passou, eu consegui melhorar 99%. Não digo 100% porque vez ou outra eu esqueço de fazer essas atividades diárias que devem ser feitas de três em três horas, e eu não faço constantemente. Por exemplo um dia eu acordei sentindo as dores novamente. Mas por uma falta de cuidado meu mesmo, porque a correria é grande", explica.

O presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot) - Regional Ceará, Leonardo Drumond,  explica que um local inadequado de trabalho é um dos principais fatores para as dores que costumam aparecer durante o período do trabalho em casa.

“São incômodos que surgem pois, dificilmente, as pessoas se sentam em cadeiras adequadas e trabalham em mesas com altura apropriada. Muitas vezes, trabalham na cama, na rede, no sofá, com o computador no colo, entre outras situações que comprometem a postura corporal”, relata.

Drumond conta que as lesões mais comuns causadas pelos maus hábitos na postura acontecem na coluna cervical e na região lombar.

Sandra faz parte do grupo de brasileiros que busca melhorar o espaço destinado para trabalhar em casa, enquanto isso, ainda sofre com as consequências negativas. "Eu trabalho em uma mesa de plástico, mesa de bar, que eu consigo transportar para vários locais. Consigo trabalhar no meu quarto, no quarto das crianças ou na sala. Já estou me organizando para adquirir mesa e cadeira apropriadas, porque os relatos dos colegas mostram que eles sentiram uma grande melhoria, no trabalho e no rendimento, e claro, fisicamente", explica.

LEIA TAMBÉM| Como casais divorciados podem declarar despesas com filhos no IR

 

Até 12 horas em frente ao computador

As mudanças no modelo de trabalho também foram acompanhadas de incômodos físicos para a professora Caroline Cabral, 30. A educadora conta que passa até 12h em frente ao computador.

"De trabalho são 8h, mas eu passo, com certeza, de 10h a 12h por dia. O sentimento que tenho do trabalho home office é de que parece que não tem fim. A gente está ali, na frente do computador, não precisa se deslocar para casa. Eu sou professora de alunos de sete e oito anos, e minha rotina era bem dinâmica, eu não sentava nem para lanchar. Eu me deslocava muito pela sala, descia e subia a rampa.Com o home office, além de eu precisar ficar sentada, o computador impossibilita essa movimentação", relata Caroline.

A professora conta que a adaptação ao novo modelo de trabalho foi difícil e complicada, Caroline chegou a improvisar uma tábua de passar roupas como mesa.

"Quando começou o lockdown, eu tinha me mudado há quatro meses e a casa nova não estava adaptada nem para eu morar direito, ainda mais para trabalhar. Nos primeiros meses, eu utilizava uma tábua de passar roupas e um banco, foi bem difícil. Não tinha local para apoiar perna, apoiar braço ou para colocar o material, era bem improvisado mesmo", disse.

Com o local inadequado para trabalhar, foi questão de tempo até as primeiras queixas físicas aparecerem. A solução foi procurar na atividade física um pouco de alívio.

"No ano passado eu busquei a ioga, fazia aqui em casa, buscava alguns vídeos na internet para fazer esse alongamento, foi uma busca minha, uma busca individual. Mas esse ano, a escola em que eu trabalho disponibilizou por dois momentos na semana, no final da tarde, o professor de educação física para fazer uma vídeo chamada com as professoras. Ele sempre faz alongamento e algum exercício para que a gente possa suar e se movimentar", destaca.

Caroline Cabral conta que a ajuda de um profissional de educação física trouxe melhorias durante o horário de trabalho. "Com certeza sinto que melhorou, sei quais alongamentos devo fazer, sei onde alongar e onde puxar", finaliza.

Orientações para evitar lesões


Entre as principais orientações para evitar lesões durante as horas de trabalho ou estudo em casa,o médico ortopedista Leonardo Drumond destaca:

a)Postura

"Ao sentar na cadeira, o quadril e os joelhos devem estar no ângulo de 90 graus, e as costas acomodadas. Firmar os pés no chão ajuda a conseguir a melhor postura e manter a tela do computador na mesma altura dos olhos para não forçar o pescoço. Os braços também devem estar apoiados na mesa, para evitar tensão nos punhos”, orienta.

b)Alongamento

Para que o home office e as aulas online possam ser uma experiência saudável durante a pandemia, o ortopedista  destaca a importância de incluir alongamentos e exercícios físicos na rotina.

“A cada meia hora, levante e faça uma caminhada pela casa. Estique a coluna para evitar dores lombares e no pescoço. Também alongue os punhos para minimizar o efeito do uso prolongado de mouse, o que pode levar a uma tendinite ou a uma lesão por esforço repetitivo (LER)”, finaliza.

LEIA TAMBÉM| Home office desigual: o trabalho remoto para mulheres

O educador físico Ícaro Araújo também ressalta a importância dos alongamentos para as pessoas que enfrentam longas jornadas em frente ao computador.

"Nesse momento de pandemia, em que estamos em casa passando por esse isolamento mais rígido, os alongamentos são importantes, porque com a prática regular deles, os músculos passam a suportar melhor as tensões diárias. Então, se você está de home office e fica muito tempo em uma certa posição, os seus músculos estabilizadores estão trabalhando. Com o alongamento, eles terão mais elasticidade e poderão suportar melhor aquela tensão".

c)Prevenção

Ícaro explica que os alongamentos são uma forma de prevenir as dores que possam surgir, além de trazer benefícios na qualidade de vida. O educador esclarece que o alongamento dos músculos que atuam na cadeia posterior do tronco são essenciais para ajudar no combate às dores.


LEIA TAMBÉM| Conheça a empresa cearense que criou aplicativo para concorrer com o iFood

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags