PUBLICIDADE
Saúde
NOTÍCIA

Em dezembro, os 116 postos de saúde de Fortaleza farão testes rápidos para HIV/Aids

Todos os 116 postos de saúde da Capital irão ampliar a oferta, além de promover simpósios focados nos profissionais dos postos de saúde e usuários da rede de atenção primária

12:41 | 01/12/2020
A aids não tem cura, mas é uma doença tratável. Pessoas que estão há mais de seis meses com carga viral indetectável NÃO transmitem o HIV a outras pessoas. (Foto: Marcos Moura/SMS)
A aids não tem cura, mas é uma doença tratável. Pessoas que estão há mais de seis meses com carga viral indetectável NÃO transmitem o HIV a outras pessoas. (Foto: Marcos Moura/SMS)

Em alusão ao Dia da Luta contra a Aids, comemorado no dia 1º de dezembro, a Prefeitura de Fortaleza ampliará a oferta de exames e testes rápidos para HIV/Aids nos 116 postos de saúde durante o mês de dezembro. O sistema de saúde da Capital também vai promover capacitações virtuais e simpósios para os profissionais de saúde. Os usuários das unidades de atenção primária também podem participar dos simpósios.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Fortaleza já realizou mais de 49 mil testes rápidos de HIV nas Unidades de Atenção Primária à Saúde em 2020. Os testes demoram apenas 30 minutos para detectar anticorpos que indicam a existência no vírus no organismo humano. 

Caso o resultado do teste seja positivo, a pessoa será encaminhada aos Serviços Ambulatoriais Especializados em HIV/Aids (SAE) - existem dez em Fortaleza, que oferecem atendimento multiprofissional com infectologistas, profissionais de enfermagem, serviço social, psicologia e farmacêutico. Os SAEs estão atendendo mais de sete mil pessoas na Capital atualmente, divulga a SMS.

A Aids é o estágio mais avançado da infecção causada pelo vírus HIV, transmitido pelo contato com sangue, sêmen ou fluidos vaginais infectados. O vírus interfere na capacidade do organismo de combater infecções. Por isso, os sintomas da Aids incluem perda de peso, febre ou suor noturno, fadiga e infecções recorrentes. Algumas semanas depois da infecção pelo HIV, podem ocorrer sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, dor de garganta e fadiga.

Aids não tem cura, mas é uma doença tratável com remédios antirretrovirais (ARVs). Eles retardam o progresso da doença e também previnem infecções secundárias e complicações. Além disso, é possível viver com HIV e chegar a uma carga viral indetectável. Sabe-se que aqueles que estão há mais de seis meses com a carga viral indetectável não transmitem o vírus para outras pessoas. "Indetectável = Intransmissível (I=I)", reforça nota da SMS.

Transmissível por:

Sexo vaginal sem camisinha;
Sexo anal sem camisinha;
Sexo oral sem camisinha;
Uso de seringa por mais de uma pessoa;
Transfusão de sangue contaminado;
Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

NÃO transmissível por: 

Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
Masturbação a dois;
Beijo no rosto ou na boca;
Suor e lágrima;
Picada de inseto;
Aperto de mão ou abraço;
Sabonete/toalha/lençóis;
Talheres/copos;
Assento de ônibus;
Piscina;
Banheiro;
Doação de sangue;
Pelo ar.