PUBLICIDADE
Saúde
NOTÍCIA

Ministério da Saúde inclui Estados Unidos na lista de países com surto de Coronavírus; Brasil tem 488 casos suspeitos e o Ceará, 19

A previsão é de que número de casos saltem nos próximos dias. Ministério orienta que o cidadão não se encaminhe ao posto e sim, ligue para o número 136

FLÁVIA OLIVEIRA
21:25 | 03/03/2020

O Ministério da Saúde informou em coletiva realizada na tarde desta terça-feira, 3, e transmitida pela página da instituição no Facebook, que o número de casos suspeitos aumentou de 433 para 488, e a lista de países considerados com surto incluídos na lista para definir suspeitos do novo coronavírus aumentou, saltando de 16 para 26, incluindo os Estados Unidos. Ou seja, quem viajar aos países e retornar com sintomas da doença pode ser considerado como caso suspeito.

O Governo afirmou que o número de casos no Brasil deverá aumentar muito nos próximos dias, já que os EUA é um destino bastante visitado por brasileiros.

No Ceará, o número saltou de 12 para 19 suspeitos: de acordo com boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) divulgado hoje, são 18 em Fortaleza e um em Caucaia. O Ceará tem o segundo maior número de casos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Fica atrás apenas da Bahia, com 21.

Até o momento, não houve nenhum caso de transmissão local no País, de acordo com o Ministério da Saúde.
O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, explicou que não há necessidade das pessoas que apresentam tosse ou febre leve corram para as unidades de saúde. Ele recomenda que se o cidadão apresenta alguns dos sintomas, pode ligar para o 136 para tirar dúvidas. “Nós não precisamos impor às pessoas que procurem as unidades de saúde com sintomas leves. Vamos deixar para ir à unidade médica quem está com sintomas mais graves”.

O governo estuda aumentar a capacidade de atendimento nas Unidades de Atenção Básica de Saúde nos municípios. “Unidades básicas de saúde terão uma nova política de incentivo para ampliar a oferta de atendimento para evitar a sobrecarga nas emergências dos hospitais.” No entanto, ainda não há definições de quanto será o recurso e de quando será recebido, assim como as medidas a serem tomadas e qual a extensão do horário de atendimento.

Se enquadram em casos suspeitos as pessoas que regressam desses países e apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar. Em função da ampliação, a pasta destacou que, a partir de agora, a preocupação do ministério é mais direcionada a prevenção e assistência, e menos com as estatísticas. A partir de 100 casos confirmados a partir de transmissão local, o Ministério deverá mudar o modo de operação e não mais aplicar os testes para diagnóstico, a não ser em situações específicas, como em situações de gravidade do paciente ou estudo epidemiológico. Ao custo de R$ 98 cada kit de teste, o Ministério acredita que os recursos precisam ser direcionados para prevenção e tratamento.