PUBLICIDADE
Saúde
NOTÍCIA

Norte e Nordeste terão, juntos, cerca de 55% do total de vagas do Médicos pelo Brasil

No Nordeste, serão 1.513 vagas convencionais e 6.474 vagas prioritárias, somando um total de 7.987 vagas.

16:00 | 01/08/2019
Presidente participou da cerimônia de lançamento do novo Mais Médicos, o Médicos pelo Brasil
Presidente participou da cerimônia de lançamento do novo Mais Médicos, o Médicos pelo Brasil(Foto: Marcos Correa/PR)

O Governo Federal lançou, nesta quinta-feira, 1º, o programa Médicos pelo Brasil, que visa substituir o Mais Médicos. Anunciado pelo Ministério da Saúde, o programa terá cerca de 7 mil vagas a mais que o programa anterior para atuarem onde há os maiores vazios assistenciais. As regiões Norte e Nordeste terão, juntas, 55% do total dessas vagas. Ao todo, serão 18 mil vagas previstas, sendo cerca de 13 mil em municípios de difícil provimento.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, avaliou que a ampliação do acesso aos serviços da Atenção Primária à Saúde (APS), onde as doenças mais frequentes (como diabetes, hipertensão e tuberculose) são acompanhadas, é prioridade do Governo Federal. "Assim, vamos promover a qualidade de vida da população e intervir nos fatores que colocam a saúde em risco, como falta de atividade física, má alimentação, uso de tabaco, dentre outros. Também vai trazer para perto da comunidade serviços como consultas médicas, exames, vacinas, radiografias e pré-natal para gestantes”, disse.

Utilizando a metodologia adotada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o programa irá priorizar a participação de municípios em regiões carentes. Eles foram divididos em cinco categorias: rurais remotos, rurais adjacentes, intermediários remotos, intermediários adjacentes e urbanos.

Serão priorizados os municípios rurais remotos, rurais adjacentes e intermediários remotos, que somam 3,4 mil locais, e poderão incluir todas as equipes de Saúde da Família no Programa Médicos pelo Brasil. Todas as Unidades de Saúde da Família ribeirinhas e fluviais e os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) também serão consideradas como prioritárias.

Dessa maneira, 4 mil novas vagas prioritárias - em comparação com o Mais Médicos - serão disponibilizadas para as regiões Norte e Nordeste. Juntas, estas duas regiões terão 55% do total de vagas. No Nordeste, serão 1.513 vagas convencionais e 6.474 vagas prioritárias, somando um total de 7.987 vagas.

Procurada, a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde apontou que no momento as vagas são determinadas apenas por região, não sendo discriminadas, ainda, quantas vagas cada estado do Nordeste deve receber.