PUBLICIDADE
Notícias

Garoto francês é suspeito de reintroduzir sarampo na Costa Rica

00:01 | 28/02/2019
Menino de cinco anos, que passava férias com os pais, não estava vacinado contra a doença. Último caso no país centro-americano havia sido registrado em 2014.Um menino francês de cinco anos que foi passar férias na Costa Rica com os pais é suspeito de ter reintroduzido o sarampo no país centro-americano. O garoto, que não fora vacinado contra a doença, entrou na Costa Rica em 18 de fevereiro, segundo o Ministério da Saúde. A Costa Rica não registrava nenhum caso da doença trazido do exterior desde 2014, e não apresentava casos oriundos da sua própria população desde 2006. Autoridades colocaram o menino em quarentena em um hospital e agora estão em busca de pessoas para as quais ele possa ter transmitido a doença desde a sua chegada. A Costa Rica também notificou a França para que avalie se o garoto pode ter infectado alguém no seu país de origem. A vacina contra o sarampo evitou cerca de 21,2 milhões de mortes globalmente de 2000 até 2017, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Apesar disso, alguns grupos questionam a necessidade de vacinação e alegam que o procedimento pode ser prejudicial para crianças. Em 2018, a OMS alertou para um aumento dramático das infecções por sarampo na Europa, com a Ucrânia apresentando um dos casos mais preocupantes. Os surtos da doença deixaram 37 mortos no continente nos primeiros seis meses do ano passado. A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) também divulgou números alarmantes sobre os casos de sarampo nas Américas em meados de 2018, mostrando o Brasil como o segundo país com o maior número de infecções, atrás apenas da Venezuela. O vírus do sarampo é espalhado por tosse, espirros, contato pessoal próximo ou contato com secreções nasais ou de garganta infectadas. Mais frequente em crianças menores de cinco anos ou em adultos com mais de 30 anos, o sarampo pode produzir epidemias. PJ/ots ______________ A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Fonte: DW | dw-world.de

TAGS