PUBLICIDADE
Notícias
brasil

Ministério realiza questionário nas escolas para acompanhamento da gravidez de jovens estudantes

Taxa de garotas grávidas entre 10 e 19 anos no País está acima da média das Américas

23:53 | 25/02/2019

O Ministério da Saúde realizará, até o dia 15 de abril, um questionário sobre a quantidade de casos de gravidez nas jovens, com idades entre 10 e 19 anos, estudantes de escolas públicas e privadas de todo o Brasil. Esse levantamento está disponível juntamente com o EducaCenso 2019, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, a taxa de gravidez entre as jovens brasileiras é de aproximadamente 58,7 nascimentos para cada um mil meninas, estando acima da média das Américas (48,6 nascimentos para cada um mil meninas).

O questionário pode ser respondido por gestores escolares, como diretor (a), vice-diretor (a), coordenador (a) ou pessoa designada para tal fim. As perguntas giram em torno do número de gestantes que engravidaram em 2018, das que estavam com o diagnóstico gestacional e se houve interrupção da gravidez durante todo o ano passado.

Com isso, será possível identificar quais escolas possuem maior prevalência e onde demanda maior atuação dos ministérios da Saúde e Educação. Além disso, a expectativa é de que essa ação possa reduzir as vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e adolescentes na trajetória escolar.

“Nosso objetivo é identificar esses casos, para que ambos os sistemas, saúde e educação, possam realizar ações de prevenção da gravidez na adolescência e qualificar o cuidado a essas gestantes, tanto no que se refere à oferta da educação durante toda a gestação e pós-parto, quanto no que tange às equipes de saúde, para que eles possam atender com pré-natal, possam orientá-las e apoiá-las em todas as etapas”, comentou a coordenadora Michele Lessa, do programa Saúde na Escola, no Ministério da Saúde.

Gravidez das jovens brasileiras

Dados do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc) apontam que entre os anos de 2000 a 2016, o número de casos de gravidez na adolescência (10 a 19 anos) teve queda de 33% no País. Anteriormente foram registrados 750.537 nascimentos e 501.385 recém-nascidos.

No ano de 2017, em relação aos dados preliminares do Sinasc, houve o nascimento de 480.211 crianças filhas de mães entre 10 e 19 anos. Em 2018, foram 394.717.

O Ministério da Saúde avalia que a queda no número de adolescentes grávidas está relacionada a diversos fatores, como a expansão do programa Saúde da Família e Saúde na Escola, além do acesso a métodos contraceptivos.

O Povo