PUBLICIDADE
Saúde
Ministério da Saúde

Sarampo: 822 casos da doença são confirmados no Brasil

Ceará não está na lista dos sete estados que registraram o vírus

23:45 | 25/07/2018
Ceará não está na lista dos sete estados que registraram o vírus (Foto: Mauri Melo / O POVO)
Dados atualizados do Ministério da Saúde dão conta de que até o dia 17 de julho, 822 casos de sarampo foram confirmados no País. Mesmo após ter recebido certificado de eliminação do vírus em 2016, o Brasil tem hoje sete estados com registros positivos de contaminação. Todos eles estão relacionados à importação do vírus. 

Atualmente, dois estados enfrentam surto de sarampo: Amazonas e Roraima. Ambos registram 519 e 272 casos, respectivamente. Os números do Amazonas, porém, podem aumentar, pois 3.725 casos ainda permanecem sob investigação.

Em 2017, a doença foi confirmada entre venezuelanos que adentraram em Roraima, os quais fizeram com que, segundo o Ministério da Saúde, o vírus chegasse a Manaus (AM), ocasionando os surtos deste ano. De acordo com o órgão, a comprovação de que a doença foi importada é o genótipo do vírus (D8), que é o mesmo que circula na Venezuela.

Os demais estados que tiveram confirmação de sarampo são: São Paulo (1); Rio de Janeiro (14); Rio Grande do Sul (13); Rondônia (1); e Pará (2). Mesmo sendo considerados casos isolados, o Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando apoio aos estados.

Em 2016, o Brasil havia recebido o certificado de eliminação da circulação do sarampo, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), após surtos que ocorreram no Ceará e em Pernambuco, durante 2013 e 2015. Na época as doenças foram decorrentes de pacientes vindos de outros países. No período, 1.310 casos foram registrados no Brasil.

Vacina
O Ministério da Saúde oferta gratuitamente para todos os estados as vacinas tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e a tetra viral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela). As vacinas fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação e estão disponíveis durante todo o ano nos postos de saúde públicos.

O órgão ressalta que não existe necessidade de “corrida aos postos de saúde”. A justificativa é de que as “ações para controle do surto da doença, como bloqueio vacinal, nas localidades que registraram casos de sarampo estão sendo realizadas com rigor”. O Ministério, porém, alerta que pessoas ainda não vacinadas devem procurar o serviço.
  
Redação O POVO Online