PUBLICIDADE
Saúde
sobremesa

Pesquisadores fazem chocolate benéfico para o intestino e redutor das chances de câncer

Apesar da diferença de ingredientes para os chocolates industrializados, 75% dos 107 voluntários avaliados afirmaram que comprariam o produto

13:18 | 01/02/2018

Chocolate derretido se derramando
(Foto: Divulgação)
 

Na região de Pirassununga, em São Paulo, pesquisadores da área de Alimentos da Universidade de São Paulo (USP) elaboraram uma chocolate com capacidade de diminuir os riscos de constipação - que possibilita uma série de doenças, a exemplo do câncer de cólon. A informação é do G1.

Os probióticos aplicados ao chocolate foram o lactobacillus acidophilus e o bifidobacterium animalis, que são parecidos com os probióticos que estão naturalmente no organismo. No entanto, com o decorrer dos anos, eles se perdem pelo consumo de alimentos industrializados que agridem a flora intestinal, a exemplo do açúcar e medicamentos. O estresse também é um fator prejudicial neste caso.

Por meio de um processo chamado microencapsulação, a mestranda Marluci Palazzollu da Silva conseguiu uma fórmula que introduzisse os lactobacilos ao chocolate. Para isso, foram necessários dois anos.

A professora e orientadora da pesquisa, Carmem Fávaro Trindade, explica que o estômago é um meio ácido que destrói esses micro-organismos. Deste modo, eles ficam protegidos e chegam ao intestino, onde são liberados para atuar.

O chocolate não contém lactose, porque, na produção, foi levado em consideração as pessoas não podem consumir leite devido a intolerância à lactose, alergias ou restrições de proteína animal. Marluci diz que este público não tem a disposição no mercado um produto probiótico.

Apesar da diferença de ingredientes para os chocolates industrializados, 75% dos 107 voluntários avaliados afirmaram que comprariam o produto, que teve média 7 na avaliação - que ia até nove pontos.

Redação O POVO Online