PUBLICIDADE
Notícias

Secretaria de Aviação apresenta procedimentos para evitar transmissão do vírus ebola

Organização Mundial de Saúde (OMS) está monitorando a situação e ajudando as autoridades locais na tentativa de conter o surto

18:43 | 22/08/2014

A Secretaria de Aviação Civil publicou comunicado nesta sexta-feira, 22, detalhando os procedimentos adotadas pelos aeroportos brasileiros para evitar a transmissão do vírus do ebola.

O vírus, que vitimou 1.427 pessoas em Guiné, Serra Leoa, Libéria e Nigéria, tem risco de transmissão considerado baixo para o território brasileiro

De acordo com a pasta, a Organização Mundial de Saúde (OMS) está monitorando a situação e ajudando as autoridades locais na tentativa de conter o surto. Não há, porém, restrições às viagens aéreas aos países afetados, e a chance de uma pandemia (ou seja, uma epidemia global) é considerada remota.

Acionado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o Comitê Técnico de Segurança da Conaero (Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias) adotou um protocolo de resposta que consiste de uma série de medidas:

•    Identificar suspeitos já no avião, mantê-los tão afastados quanto possível  dos demais pacientes e notificar o aeroporto de destino;

•    O aeroporto, por sua vez, notifica a Anvisa para a avaliação do caso no desembarque; tripulantes e pessoas que se sentaram próximas ao suspeito são incluídas na investigação;

•    Se caracterizada a suspeita de ebola, o paciente deverá ser levado de ambulância a um hospital de referência. Todas as capitais têm hospitais designados para esse tipo de emergência.

As equipes médicas de aeroporto têm kits de proteção individual que contêm luvas, macacão, máscaras, botas e aventais impermeáveis. Cada uma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo já possui de 20 a 40 kits de proteção em suas equipes de transferência dos pacientes.

As outras capitais começaram a recebê-los nesta semana. Casos mais graves serão encaminhados ao Hospital Evandro Chagas, no Rio de Janeiro. O Governo do Distrito Federal já disponibilizou uma ambulância aérea para esse transporte.

Além disso, os aeroportos têm feito avisos sonoros em português, inglês e espanhol de meia em meia hora com alerta sobre o que é a doença e que precauções devem ser tomadas pelos viajantes.

 

Portal Brasil

TAGS