PUBLICIDADE
Notícias

Campanha contra hepatite C tem como alvo pessoas acima de 45 anos

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia, todas as pessoas que nasceram entre 1945 e 1970 devem realizar o teste para hepatite C

13:47 | 28/07/2014

As pessoas que têm 45 anos ou mais são o principal alvo das campanhas para a detecção do vírus da hepatite C no organismo, a forma mais grave da doença. A Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite (ABPH) estima que cerca de 1,6% da população brasileira seja portadora da hepatite C, mas 90% dessas pessoas não sabem que carregam o vírus.

 Segundo o gerente de Projetos da ABPH, Eduardo Tadeu Lima e Silva, até 1995 não era feito nenhum teste de hepatite em transfusões de sangue, “muitas pessoas foram contaminadas com hepatite C, não foram diagnosticadas e silenciosamente a doença foi progredindo e virou uma cirrose ou câncer hepático. Então, existe uma janela de portadores silenciosos que foram transfundidos e que não sabem que são portadores do vírus”.

 “Hoje, há um controle maior nas transfusões. Com a chegada da aids e da hemofilia, os centros de doações passaram a fazer uma testagem mais específica. Então, o portador dificilmente vai transmitir, mas essas pessoas morrem se não identificadas a tempo”, disse Silva, explicando que a hepatite C só é reconhecidamente transmitida pelo sangue, em transfusões e compartilhamento de material perfurocortante.

 O presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH), Edison Roberto Parise, explica que todas as pessoas que nasceram entre 1945 e 1970 devem realizar o teste para hepatite C. “Estamos lançando essa campanha tanto para a população quanto para os médicos pedirem o exame a seus pacientes”, disse Parise.

 Ele conta que, na década de 70 e 80 era muito comum a automedicação em farmácias com antigripais e estimulantes por via endovenosa com seringas de vidro. Além das drogas injetáveis, a utilização de material não esterilizado por manicures, acupunturistas e até dentistas também ajudou a espalhar o vírus, “Então, mudamos a estratégia e chamamos na campanha todos as pessoas com mais de 45 anos, independente do histórico de exposição ao vírus”.

 O dia 28 de julho foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Segundo dados da organização, 500 milhões de pessoas no mundo carregam algum dos cinco vírus da doença.

 As hepatites virais são responsáveis por 1,4 milhão de mortes todos os anos no mundo. No Brasil, o Ministério da Saúde divulga esta semana informações e dados atualizados sobre a doença.

 

Agência Brasil

TAGS