select ds_midia_link from midia where cd_midia = limit 1
Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

'População não leva em conta orientação dos partidos', diz FHC

13:40 | Out. 17, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deixou ainda mais distante as chances de participar uma frente democrática em apoio ao candidato à Presidência do PT, Fernando Haddad. Nesta quarta-feira, 17, o tucano argumentou que os eleitores "não mais levam em conta a orientação dos partidos".

"A frente democrática é uma expressão que havia no passado. Como disse aqui, acho que os partidos, as instituições, os sindicatos, estão um pouco escorregadios porque a sociedade mudou. Vocês acham que as pessoas vão olhar para alguma frente?" questionou o tucano, que recebeu nesta quarta o prêmio "Professor Emérito - Troféu Guerreiro da Educação Ruy Mesquita", concedido pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) em parceria com o jornal O Estado de S. Paulo.

"As pessoas hoje tomam suas decisões independente dos partidos. Por que (realizar o gesto) agora?", questionou.

Após o primeiro turno, o PT trabalhou, sem sucesso, para criar uma "frente democrática" suprapartidária contra Jair Bolsonaro (PSL), atraindo candidatos derrotados no primeiro turno e lideranças políticas como o próprio FHC. Em entrevista ao Estado no último domingo, 14, o tucano afirmou que, ao contrário de Bolsonaro, com Haddad havia uma porta para diálogo, mas que ela ainda estava fechada.

Questionado nesta quarta-feira sobre essa possibilidade, o ex-presidente tucano disse a porta está "enferrujada". "Acho que a fechadura enguiçou", desconversou.

Na visão de FHC, para sair da atual situação, independente do vencedor das eleições, o Brasil vai precisar superar as diferenças e criar coesão na sociedade para tirar o País da crise. Ele avisou, no entanto, que só daria as mãos a um movimento contra o autoritarismo, que defenda a liberdade, democracia e respeito à Constituição. "O Brasil precisa de frente em favor de seu povo, que implique em liberdade e democracia".

Questionado se ajudaria Bolsonaro, o tucano desconversou. "Ele não estende a mão a ninguém. Vamos ver o que ele vai dizer, fazer. Pelo que vi até agora, porque estender a mão se ela ficaria no ar?", questionou"

Agência Estado

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Série D: Madureira busca reabilitação e São Bento tenta 1ª vitória

Esportes
2021-07-31 07:42:08
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após perder a invencibilidade na Série D do Campeonato Brasileiro, o Madureira-RJ mira a reabilitação neste sábado (31). Do outro lado, o São Bento-SP busca a primeira vitória na competição. O duelo da nona rodada do Grupo 7, no estádio Aniceto Moscoso, na zona norte do Rio de Janeiro, será transmitido ao vivo na TV Brasil às 15h (horário de Brasília).

O Tricolor Suburbano carioca perdeu a liderança da chave na rodada passada, ao perder para o Santo André-SP por 2 a 0 no estádio Distrital do Inamar, em Diadema (SP). A primeira derrota após oito jogos derrubou os cariocas para o terceiro lugar, com os mesmos 13 pontos do Ramalhão, que tem uma vitória a mais (quatro a três).

O zagueiro Guilherme Xuxa e o atacante Guilherme Augusto estão fora por terem contraído o novo coronavírus (covid-19). O lateral-direito PC, que se recuperou de um estiramento muscular, é dúvida. O técnico Alfredo Sampaio deve escalar o Tricolor com: Lucão; Léo Barboza, Mario Pierre, Thiago Medeiros e Juninho Monteiro; Feitosa, Leandro Sardinha e Rafinha; Romário, Sampaio e Índio.

O Bentão paulista é o lanterna do grupo, com cinco pontos, todos provenientes de empates. Na última rodada, os paulistas foram derrotados pelo Cianorte-PR, por 1 a 0, no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP). A equipe está seis pontos atrás do clube paranaense, que aparece em quarto lugar e ocupa a última vaga ao mata-mata.

Sem dificuldades, Brasil supera Sérvia e assume liderança do grupo no vôlei feminino em Tóquio

MAIS UMA VITÓRIA
2021-07-31 07:21:01
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A seleção feminina de vôlei não tomou conhecimento da equipe sérvia e bateu as atuais campeãs mundiais por 3 sets a 1, parciais 25/20, 25/16, 23/25 e 25/19. O jogo foi válido pela penúltima rodada da fase de grupos, com o resultado, as brasileiras ultrapassaram as sérvias na classificação.

As meninas do Brasil fecham a fase de classificação na próxima segunda-feira, às 9h45, quando enfrentarão a seleção do Quênia. O jogo definirá o futuro das brasileiras nas quartas de final do torneio.

O jogo

Com um bom ritmo de jogo, o Brasil manteve um bom desempenho durante o primeiro set. Sem muita dificuldade, as jogadoras brasileiras chegaram ao 25/20. O segundo set não foi diferente, a seleção brasileira chegou a abrir 7 pontos diante das sérvias ao fazer 18 a 11.Tandara deu números finais ao set ao fazer 25/16 para o Brasil.

O terceiro set parecia encaminhar a vitória brasileira na partida, entretanto, as atuais campeãs mundiais reagiram. O Brasil vencia o set por 20 a 19, mas tomou a virada na reta final, perdendo a disputa por 25/23.

O quarto set serviu para o Brasil consolidar as boas atuações. Com destaque para Tandara, maior pontuadora do jogo, a seleção brasileira chegou a 25/19 e garantiu mais uma vitória em Tóquio.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil perde para a Suécia no handebol feminino em Tóquio

DERROTA NO HANDEBOL
2021-07-31 06:50:36
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A situação das atletas brasileiras do handebol feminino se complicou neste sábado, 31, após a segunda derrota seguida da equipe representante do Time Brasil, desta vez para as suecas, por 34 a 31, nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Em início de jogo tenso, o placar só foi aberto aos 3 minutos de partida. As Leoas mantiveram a vantagem apertada, obtendo sucesso e maior distância com a construção de jogadas rápidas. Mesmo conseguindo um placar de 13 a 9 aos 19 minutos, a Seleção Brasileira não conseguiu manter a vantagem por muito tempo. O Brasil acabou terminando o primeiro tempo perdendo de 13 a 15, depois de tomar seis gols seguidos das suecas.

Na segunda etapa, o Brasil voltou ainda sem concentração e assim ficou até a metade do segundo tempo, quando Babi entrou iniciou uma reação brasileira. Renata brilhou com boa defesa, arremessando para o gol sueco, levando o Brasil a encostar no placar, chegando ao empate aos 22 minutos. Aproveitando a desorganização do ataque brasileiro, as suecas abriram três gols de vantagem, faltando cinco minutos para o fim da partida, não dando tempo de reação ao time brasileiro.

Atualmente com um total de 3 pontos no Grupo B, a equipe brasileira ainda pode passar para as quartas de final, mesmo com a derrota. Apesar da melhora após um final de primeiro tempo bem abaixo do que as Leoas vinham fazendo em Tóquio, a segunda derrota da competição chegou. Neste domingo, 1, às 23h (de Brasília), a Seleção Brasileira enfrenta a França, atual vice-campeã olímpica, na última rodada.

O Brasil e a França estão empatados em pontos, ambos com 3, estando atrás da líder Suécia (7 pontos), do Comitê Olímpico Russo (5) e da Espanha (4). As Leoas ocupam a quarta colocação do grupo B, superando as francesas, por conta de um maior saldo de gols (-1 contra -3).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas de Tóquio: Número 1 do mundo, Djokovic perde disputa do bronze pelo torneio de simples

FORA DO PÓDIO
2021-07-31 06:35:00
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O bronze conquistado na Olimpíada de Pequim 2008 segue sendo a única medalha olímpica conquistada por Novak Djokovic. O número um do mundo foi derrotado pelo espanhol Pablo Carreno Busta neste sábado, 31, no jogo que valia a disputa do terceiro lugar pelo torneio simples de tênis.

O espanhol bateu o sérvio por 2 sets a 1 (parciais de 6/4, 6/7 e 6/3), o que levou Pablo ao terceiro lugar. Ainda neste sábado, 31, o sérvio terá mais uma chance de deixar os Jogos de Tóquio com uma medalha. Djoko terá a decisão de mais um bronze, dessa vez, ao lado do parceiro Stojanovic. Os adversários dos sérvios serão a dupla australiana Barty/Peers.

Na disputa do simples, Djokovic era candidato ao ouro do tênis em Tóquio. Mas o sérvio acabou caindo na semifinal do torneio depois de tomar uma virada do alemão Alexander Zverev  (1/6, 6/3 e 6/1).

Sem o ouro nas Olimpíadas de Tóquio, o sérvio não conseguiu alcançar o "True Golden Slam", a marca seria registrada caso o número um do mundo conquistasse os cinco torneios mais importantes do tênis na temporada de 2021. O sérvio já havia triunfado em três dos cinco - Austrália Open, Roland Garros e Wimbledon. Faltavam para o objetivo do melhor tenista do mundo a medalha de ouro em Tóquio e o US Open, em setembro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Deu medalha: Luisa Stefani e Laura Pigossi conquistam o bronze no tênis de duplas feminino

OLIMPÍADAS
2021-07-31 05:47:00
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As brasileiras Luisa Stefani e Laura Pigossi conquistaram o bronze na disputa do tênis de duplas feminino, após vencerem a disputa contra a dupla representante do Comitê Russo na Olimpíada de Tóquio 2020. Na madrugada deste sábado, 31, as brasileiras bateram as russas Elena Vesnina e Veronica Kudermetova por 2 sets a 1 após uma virada histórica (parciais de 4/6, 6/4 e 11/9).

A dupla brasileira perdeu o primeiro set por 4-6, mas se recuperou e venceu a segunda parcial por 6-4. No match tie-break, Laura e Luisa venceram por 12-9, após reverterem quatro match points a favor da dupla russa.

Com o resultado, Stefani e Pigossi fizeram a melhor campanha do Brasil na história do tênis olímpico. Até esta madrugada, a melhor campanha brasileira havia sido conquistada por Fernando Meligeni, nos jogos de Atlanta 1996, quando o brasileiro alcançou o quarto lugar na disputa masculina.

LEIA TAMBÉM | Com oito medalhas já garantidas em Tóquio 2020, Brasil ainda pode superar os Jogos do Rio 2016

Luisa Stefani e Laura Pigossi possuem uma história peculiar nas Olimpíadas de Tóquio, a dupla só soube que jogaria os jogos oito dias antes da estreia.

Caminho das brasileiras em Tóquio:

- 2 a 0 contra Dabrowski e Fichman, do Canadá

- 2 a 1 contra Plíková e Vondrouová, da República Tcheca

- 2 a 1 contra Mattek-Sands e Pegula, dos Estados Unidos

- 0 a 2 contra Bencic e Golubic, da Suíça

- 2 a 1 contra Elena Vesnina e Veronica Kudermetova, do Comitê Russo

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags