PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Tribunal solta deputado, ex-Casa Civil de MT e empresários da Operação Bônus

14:30 | 24/08/2018
A Justiça mandou soltar o deputado estadual Mauro Savi (DEM), o ex-secretário-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Paulo Taques, e dois empresários, todos supostamente envolvidos em um esquema de desvio de R$ 30 milhões por meio de fraudes a licitação no Detran. Eles estavam presos desde 9 de maio, quando foi deflagrada a Operação Bônus, segunda fase da Operação Bereré.

A ordem para soltar os investigados foi determinada pelo Órgão Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, por 9 votos a 8.

As informações sobre a decisão do TJ, tomada na noite desta quinta-feira, 23, foram divulgadas pelo site de notícias MidiaNews, de Cuiabá, e confirmadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.

O desembargador José Zuquim, relator, vai estabelecer medidas cautelares aos acusados, que estavam recolhidos no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC).

A repórter Thaiza Assunção, do MidiaNews, apurou que entre as quatro restrições impostas aos réus está a obrigação de recollhimento noturno e nos dias de folga. Eles também não podem sair do País.

O Ministério Público sustenta que as fraudes se prolongaram de 2009 a 2018 e que uma parcela de recursos de um contrato com o Detran era "devolvida" na forma de propina a políticos e passava por um processo de lavagem - ocultação e dissimulação de patrimônio ilícito - por servidores da Assembleia.

Mauro Savi é apontado como "o dono do Detran", departamento sobre o qual mantém forte influência, segundo os investigadores.

Na mesma sessão, o Pleno do TJ abriu ação penal contra o deputado, o ex-chefe da Casa Civil e os empresários, denunciados pelo Ministério Público Estadual. Mauro Savi, Taques, seu irmão Pedro Jorge Taques os empresários José Kobori, Roque Anildo e Claudemir Pereira agora são réus.

A denúncia da Promotoria foi apresentada no dia 16 de maio contra 58 investigados, inclusive o ex-governador Silval Barbosa, que chegou a ser preso e fez delação premiada, e seu ex-chefe de gabinete, Silvio Araújo, além de mais seis deputados estaduais, inclusive Eduardo Botelho (DEM), atual presidente da Assembleia de Mato Grosso.

O processo contra esse núcleo político tramita separadamente no TJ, por decisão do relator José Zuquim.

Outro lado

Todos os deputados, os empresários, o ex-chefe da Casa Civil e seu irmão negam envolvimento em práticas ilícitas.

A reportagem tentou contato com o gabinete de Mauro Savi na Assembleia. No site da Assembleia, o parlamentar destaca seu slogan "Mais trabalho, mais resultado e trabalho com resultado".

A reportagem também fez contato com o gabinete do deputado Eduardo Botelho, presidente da Assembleia, e com a defesa do ex-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Paulo Taques. O espaço está aberto para manifestação.

Agência Estado

TAGS