PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Marina se confunde ao lamentar 'realidade da Wal', ex-funcionária de Bolsonaro

18:50 | 14/08/2018
Em transmissão nas redes sociais, a candidata à Presidência pela Rede, Marina Silva, se confundiu ao comentar, nesta terça-feira, 14, a situação de desempregados no País. Ao ser perguntada sobre a ex-assessora de Jair Bolsonaro (PSL) Walderice Santos da Conceição, conhecida como "Wal", Marina lamentou "a realidade da Wal", sem saber que se tratava da ex-funcionária do candidato do PSL ao Planalto.

"A realidade da Wal é a de milhões e milhões de brasileiros. Nessa crise terrível 13 milhões de pessoas estão desempregadas", disse a candidatada, em transmissão via redes sociais.

Ao ser alertada por um assessor, em seguida, que a pergunta se referia à funcionária demitida por Bolsonaro, Marina corrigiu a fala e condenou o uso de servidores fantasmas no setor público. "Veja como eu sou uma pessoa que não fica ligada só nas maldades", afirmou.

"Enquanto alguns estão desempregados, outros estão fazendo mau uso do dinheiro público e da função pública", comentou.

Segurança pública

Marina afirmou ainda que é preciso evitar assassinatos tanto de "policiais" quanto de "bandidos" no País. "Nós temos de ter um sistema de segurança pública que não tenha de ter assassinatos nem de policiais por bandidos e nem de bandidos por policiais", disse a presidenciável, ao ser perguntada por um internauta se "bandidos" poderiam ser recebidos "com flores" por policiais.

Ela defendeu que aqueles que cometam crimes devem ser "rigorosamente investigados e punidos de acordo com o crime que cometeram". "O que não se pode é incitar a cultura do ódio, temos de criar no nosso país a cultura da paz", afirmou.

A candidata da Rede propôs implantar o chamado Sistema Único da Segurança Pública (Susp) e defendeu que se diminua o "preconceito" nas abordagens policiais que, conforme comentou, acabam discriminando jovens negros.

Agência Estado

TAGS