Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Felipe Salto defende austeridade fiscal com responsabilidade social em SP

Ao tomar posse nesta segunda-feira, 25, como secretário da Fazenda e do Planejamento do Estado de São Paulo, o economista Felipe Salto defendeu, em seu discurso, a austeridade fiscal combinada com responsabilidade social. "A responsabilidade fiscal e os bons indicadores fiscais não são um objetivo final, mas um meio para atender a população", afirmou, ao lado do governador e pré-candidato à reeleição, Rodrigo Garcia (PSDB).

"Para financiar política pública de boa qualidade, é preciso ter as contas públicas saneadas. Esse é o histórico de São Paulo. O que podemos fazer a mais? Melhorar a execução dos investimentos, melhorar a execução das políticas sociais", disse o novo secretário.

Ele afirmou ainda que há uma "herança bendita" no caixa paulista hoje, mas defendeu que a responsabilidade fiscal não pode ser deixada de lado. "É como unha, cabelo: você corta nesta semana e na semana seguinte já cresceu", afirmou Salto.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Situação fiscal

De acordo com o novo secretário, ele chega ao governo com uma situação fiscal "bastante confortável", com um caixa de R$ 35 bilhões e uma dívida pequena, o que abre espaço para o Estado fazer investimentos.

Questionado por jornalistas, Salto descartou a possibilidade de ser determinado um aumento de impostos para elevar a arrecadação. "O que precisamos fazer é zelar para manter essa boa herança que recebemos do ministro (Henrique) Meirelles (que deixou a secretaria no dia 1.º de abril)", afirmou.

O novo secretário da Fazenda e do Planejamento de São Paulo disse que pretende aplicar na gestão da coisa pública paulista técnicas modernas de avaliação de programas sociais e investimentos. A proposta, segundo Salto, é analisar para se for o caso, mantê-los ou interrompê-los, e identificar onde o Estado deverá fazer seus melhores investimentos.

Salto é colunista do Estadão desde março de 2021, quando ocupava o posto de diretor executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado. Ao assumir a secretaria, ele deixa a função e publica hoje, nas versões impressa e digital, seu último texto como colunista. Ele é mestre em administração pública e governo pela FGV/EASP.

Meirelles

O novo secretário estadual substitui o ex-ministro da Fazenda e ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles. Ele deixou a secretaria com a ideia de concorrer a um cargo público nas eleições deste ano, mas ainda não anunciou qual será seu futuro político. Presente à posse de seu sucessor, Meirelles disse sair da secretaria com sensação de dever cumprido e comemorou o crescimento do PIB paulista.

Também na cerimônia, Garcia voltou a dizer que Felipe Salto agregará "juventude e experiência para continuar defendendo São Paulo". "Defender São Paulo é mostrar que somos um Estado que sempre evitou guerra e briga ideológica, porque sabemos que isso não resolve a vida das pessoas", disse o governador. "Aqui nós queremos paz para trabalhar e para construir esse grande Estado".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar