Participamos do

Polícia Federal investiga desvios de R$ 130 milhões em contratos de gráficas do Enem

Ao todo, 41 mandados de busca e apreensão estão sendo executados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal
11:46 | Dez. 07, 2021
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Polícia Federal (PF) realiza operação para averiguar suposto superfaturamento de R$ 130 milhões em contratos públicos firmados com gráficas que imprimiam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ao todo, 41 mandados de busca e apreensão estão sendo executados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

De acordo com investigadores, funcionários do Inep teriam favorecido gráficas e assinado contratos milionários com elas. As fraudes teriam ocorrido entre os anos de 2010 e 2019. Dentre as empresas que firmaram contratos estão a R.R Donnelley, com serviços prestados entre 2010 e 2018, e a Valid S.A com contrato firmado no início de 2019.

No último caso, a investigação apurou que servidores do Inep driblaram a licitação e desclassificaram as duas primeiras colocadas para beneficiar a Valid. A PF estima que o superfaturamento do grupo nos anos supracitados chegou aos R$ 130 milhões e que o valor teria sido distribuído entre servidores públicos, empresários e funcionários de gráficas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A investigação conta ainda com o apoio da Controladoria Geral da União (CGU) e os alvos são investigados por suspeita de corrupção ativa e passiva, envolvimento em organização criminosa, crime contra lei de licitações e lavagem de dinheiro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags