Participamos do

Em teste promovido pelo TSE, nenhum ataque foi bem-sucedido contra urnas eletrônicas

Tribunal promoveu teste público de segurança com 29 ataques realizados à equipamento. Apenas cinco ultrapassaram barreira de segurança, mas nenhum chegou a representar riscos
04:38 | Nov. 30, 2021
Autor Rose Serafim
Foto do autor
Rose Serafim Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Dos 29 ataques realizados às urnas eletrônicas durante a 6ª edição do Teste Público de Segurança (TPS), somente cinco conseguiram passar a barreira de segurança dos equipamentos e nenhum deles chegou a causar danos ao sistema, revelou, nesta segunda, 29, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luís Roberto Barroso.

De acordo com o ministro, o ataque mais grave foi realizado por peritos da Polícia Federal. Os técnicos conseguiram invadir a rede de transmissão de votos das urnas e ter acesso à rede do TSE. Mesmo que os agentes não tenham conseguido chegar ao sistema e adulterar qualquer voto, Barroso afirma que “a entrada já é uma preocupação” a ser averiguada pelo órgão. Esse foi o quinto ataque realizado.

O primeiro foi feito com uso de um painel falso sobre o original da urna. A ferramenta conseguia ler os votos depositados, quebrando assim o sigilo da votação.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

No segundo, hackers conseguiram desembaralhar a cédula impressa com a totalização dos votos da urna após o fim da eleição. Tais dados são repassados ao Tribunal ainda embaralhados, para evitar vazamentos, mas os profissionais conseguiram burlar o sistema.

Nesse caso, o ministro afirmou que não há risco pois o boletim já é distribuído aos fiscais dos partidos após a votação. Barroso também explicou que o método é ultrapassado, e advém da época em que as urnas não tinham assinatura digital.

Num terceiro ataque, foi utilizado o fone de ouvido destinado as pessoas com deficiência visual. Utilizando um equipamento bluetooth, foi possível transmitir para alguém de fora o que estava sendo dito na cabine. Esse caso só seria viável acoplando um equipamento na parte traseira da urna, o que impactaria quem precisasse utilizar o sistema de áudio na hora do voto.

Em maio de 2022, as urnas serão submetidas ao “teste de confirmação”, quando a efetividade das mudanças realizadas no sistema será verificada.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags