Participamos do

Fabio Faria diz que Moro "abandonou o País" e que Ciro achou "saída honrosa"

Ministro de Bolsonaro questionou eventual realocação do ex-juiz no cenário eleitoral; "Onde ele estava quando estávamos com pandemia, ele foi para os Estados Unidos. Foi embora. E volta agora para querer ser candidato?"
10:05 | Nov. 05, 2021
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ministro Fábio Faria (Comunicações) criticou o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, que deve se filiar ao Podemos na próxima semana, visando uma possível candidatura à Presidência da República em 2022. Faria afirmou que Moro “abandonou o País” durante a pandemia de Covid-19 e projetou que nomes da terceira via não conseguirão furar a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Sergio Moro tem zero habilidade política. Como vai se relacionar com o Congresso, com o grupo de ministros? É acostumado a dar decisão e mandar cumprir. Política é convencimento, diálogo, é abrir mão de coisas em nome do consenso. Onde ele estava nesse último ano, quando estávamos com pandemia, ele foi para os Estados Unidos. Foi embora, abandonou o País. E volta agora para querer ser candidato?", questionou em entrevista ao Estadão.

Em 2020, o ex-juiz foi contratado para a função de sócio-diretor de uma consultoria norte-americana de gestão de empresas; ele retornou ao País recentemente e, com a eventual filiação ao novo partido, já foi recolocado no cenário eleitoral.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Para Faria, a disputa pelo Palácio do Planalto está consolidada entre Lula e Bolsonaro. Nesse contexto, sugere que o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) achou uma “saída honrosa” ao decidir suspender sua pré-candidatura até que seu partido reveja posicionamento sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que viabilizaria o Auxílio Brasil em 2022 e favoreceria Bolsonaro como um trunfo no ano que vem.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags