Participamos do

PoderData: aprovação do governo Bolsonaro vai a 33% e reprovação recua para 58%

Apesar do resultado simbolizar uma melhora pontual para a gestão presidencial após quatro meses sem recuperação, o cenário ainda vem se mostrando desfavovável ao Planalto
11:00 | Out. 14, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Uma nova pesquisa publicada nesta quinta-feira, 14, revela uma leve melhora na avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos últimos 15 dias, após sucessivos aumentos em desaprovação. Segundo levantamento do Poder Data, a taxa de reprovação à gestão do chefe do Planalto está em 58%, uma queda de 5 pontos em comparação à pesquisa anterior. 

Já aprovação ao governo Bolsonaro registra 33%. Oscilou para cima dentro da margem de erro da pesquisa, de 2 pontos percentuais. A pesquisa foi realizada por meio de ligações para telefones celulares e fixos. Entre os dias 11 a 13 de setembro de 2021, foram realizada 2.500 entrevistas em 469 municípios nas 27 unidades da Federação.

Apesar do resultado simbolizar uma melhora pontual para a gestão presidencial, o cenário ainda vem se mostrando desfavorável ao Planalto. Segundo o levantamento, a taxa de reprovação está 25 pontos percentuais acima da de aprovação. A diferença já foi pior, com a diferença de 36 pontos no início de setembro. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Avaliação pessoal do presidente

A pesquisa também questionou os entrevistados sobre a avaliação do trabalho pessoal do presidente da República. Atualmente, 53% classificam o presidente como “ruim” ou “péssimo”, uma queda de 5 pontos em comparação com as duas semanas anteriores.

Entre os que consideram a atuação de Bolsonaro “bom” ou “ótimo”, o percentual foi de 25% a 29%. Variou para cima no limite da margem de erro. Os que acham “regular” totalizam 18%. A porcentagem vem desde agosto. 

Hoje, o grupo que considera o trabalho de Bolsonaro como “ruim/péssimo” está 24 pontos percentuais acima do “ótimo/bom”. Há duas semanas, a diferença era de 33 pontos percentuais. 

Desde junho, o presidente não tinha registrado uma recuperação considerável. O momento acontece ao mesmo tempo em que Bolsonaro se distancia das tensões promovidas entre o Legislativo e o Judiciário, principalmente após os atos pró-governo realizados no dia 7 de setembro, onde o mandatário promoveu ataques a membros do Supremo Tribunal Federal. 

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags