Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Maximiano corrige informação, apontada como mentira por senador, sobre locação

O dono da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, se retratou durante o depoimento na CPI da Covid e admitiu ser locatário de um apartamento frequentado pelo advogado Marcos Tolentino, ligado ao líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) sugeriu a prisão de Maximiano após ele ter dito anteriormente que era apenas fiador no contrato do apartamento.

Tolentino é apontado como sócio oculto do FIB Bank, empresa usada pela Precisa para oferecer uma carta de fiança ao Ministério da Saúde na compra da vacina indiana Covaxin.

Após a ameaça de prisão, Maximiano se retratou.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A defesa do empresário afirmou que, como investigado, ele não teria cometido falso testemunho, e que, como testemunha, poderia se retratar até a apresentação do relatório final da CPI.

"Formalmente, me retrato e peço desculpa. Sou locatário do contrato de imóvel. Não me recordava pois não vivi lá nesse imóvel", disse o dono da Precisa.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar