PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Lula: "Nova política do Bolsonaro é ficar refém do Centrão?

O petista publicou ainda um texto onde fala do papel do vice-presidente. Pronunciamento acontece um dia após Bolsonaro se queixar do vice, general Hamilton Mourão, ao dizer que por vezes ele atrapalha

Filipe Pereira
12:50 | 27/07/2021

 (Foto:  Ricardo Stuckert / Instituto Lula (02/09/2016))
(Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula (02/09/2016))

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou as redes sociais, nesta terça-feira, 27, para criticar o presidente Jair Bolsonaro e sua aproximação com o Centrão e as contradições em seu discurso. A fala veio logo após o senador Ciro Nogueira (PP-PI), um dos líderes do centrão, anunciar que aceitou o convite do mandatário para assumir a Casa Civil.

"E o Bolsonaro que ficava falando que ia acabar com a 'velha política'... Qual é a nova política dele? Ficar refém do Centrão? Não cumpriu uma coisa que ele falou", escreveu Lula em rede social, em trecho de entrevista concedida à Rádio Difusora de Goiás.

O ex-presidente ainda mencionou a mensagem de Fabrício Queiroz, que se queixou de aliados de Bolsonaro em rede social. O ex-assessor é apontado com operador de esquema da rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) na Assembleia do Rio. "Falava tanto de corrupção... Ainda ontem a noite eu vi o Queiroz ameaçando ele", afirmou Lula.

O petista comentou ainda sobre os pedidos para que ele aceite ser candidato a vice para uma união contra o presidente. "Quem tá pedindo pra eu ser candidato a vice deveria se lançar candidato a presidente...", escreveu. "Quem quiser evitar polarização, se candidate. É simples. Eu lembro que em 89 entrei como azarão, disputando com 12 candidatos. E fui pro 2º turno... Cada partido que tiver incomodado, basta lançar candidato", concluiu. 

Lula publicou ainda um texto em que fala do papel do vice-presidente. Nesta segunda-feira, 27, Bolsonaro se queixou do vice-presidente, general Hamilton Mourão, ao dizer que por vezes ele atrapalha.

"Um candidato a vice precisa ser parceiro. De confiança. Se eu for candidato, quero um vice que dê complementariedade nas funções do governo. Quero um vice atuante. E que seja uma pessoa que eu gosto, que eu vá dormir tranquilo. Sabendo que ele também vai cuidar do país", disse Lula.