PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Partidos alteram seus membros na comissão que discute voto impresso para dificultar aprovação

Deputados a favor da mudança foram substituídos na comissão por colegas de partido que são contra. Só nesta quinta foram 11 movimentações

11:00 | 02/07/2021
O deputado governista Filipe Barros (PSL-PR) é o relator do projeto e apresentou parecer favorável à PEC do voto impresso (Foto: Reprodução/Câmara dos Deputados )
O deputado governista Filipe Barros (PSL-PR) é o relator do projeto e apresentou parecer favorável à PEC do voto impresso (Foto: Reprodução/Câmara dos Deputados )

Partidos que são contra a implementação do voto impresso auditável se articularam e começaram a promover mudanças na comissão especial da Câmara que discute a PEC 135/2019, que propõe o novo modelo. A estratégia é alterar a composição do colegiado para dificultar a aprovação do projeto. Com isso, partidos substituíram seus deputados favoráveis à proposta por outros que são contra.

LEIA MAIS: Alvo de críticas infundadas, urna eletrônica completa 25 anos no Brasil

Somente nesta quinta-feira, 1°, foram registradas 11 movimentações na composição que, até então, tinha maioria disposta a votar com o relator Filipe Barros (PSL-PR), que apresentou parecer favorável nesta segunda-feira, 28. A ordem para a mudança partiu de dirigentes do PL, PSD, PV e Solidariedade.

O PL, de Valdemar da Costa Netto, promoveu três alterações na comissão. Como titular, sai o deputado Giacobo (PL-PR), a favor do voto impresso, e entra no seu lugar Júnior Mano (PL-CE).

Já o deputado Darci de Matos (PSD-SC), que era 3º vice-presidente da comissão, renunciou à vaga por se sentir pressionado com a posição do comando do seu partido. “Para não constranger ninguém”, justificou a saída. No seu lugar assume Charles Fernandes (PSD-BA).

Enquanto isso, Paula Belmonte (Cidadania-DF) foi surpreendida com a mudança. Ela, que era suplente e ocupava uma vaga cedida pelo PV, recebeu o comunicado do partido, que anunciou o seu novo titular, o deputado Professor Israel Batista (PV-DF). Belmonte criticou o comportamento dos dirigentes partidários que se posicionaram contra o voto impresso mesmo sem conhecer o parecer do relator. “ É antidemocrático”, defendeu.

O Solidariedade, de Paulinho Pereira, também propôs mudanças. Bosco Saraiva (Solidariedade-AM) assume como titular, disposto a votar contra o modelo impresso auditável.