Participamos do

Às gargalhadas, Bolsonaro compara seu mandato a segunda dose de vacina contra Covid-19

Declaração foi feita na noite de ontem, enquanto presidente conversava com apoiadores
13:21 | Mai. 30, 2021
Autor Carlos Viana
Foto do autor
Carlos Viana Assistente Núcleo Opinião
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em conversa com apoiadores na noite deste sábado, 29, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), comparou, às gargalhadas, seu mandato com a vacina contra o covid-19. "A primeira dose foi em 18, a segunda dose vai ser em 22", disse ele.

O presidente, que não usava máscara na ocasião, aproveitou a oportunidade para criticar adolescentes contrários a seu governo e, em seguida, falou sobre as eleições presidenciais, que ocorrerão no próximo ano.

"Que interesse eu tenho em falar uma coisa que não fosse verdade? Interesse nenhum. O João 8:32 derrotou esses caras em 2018", afirmou, lembrando citação bíblica do evangelho de João, Capítulo 8, versículo 32. ("E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará"), utilizada durante a campanha presidencial de 2018 e repetida por seus apoiadores constantemente.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O presidente, porém, não comentou o ritmo lento da vacinação no Brasil nem as mais de 461 mil mortes causadas pelo vírus.

Segundo balanço divulgado na noite deste sábado pelo Consórcio de Veículos de Imprensa, cerca de 22 milhões de brasileiros receberam as duas doses da vacina, o que representa 10.4% da população do País. Já 21.32% da população brasileira, pouco mais de 45 milhões de pessoas, foi imunizado com a primeira dose.

O Brasil é o 64º lugar no ranking global de vacinação. Reino Unido e Estados Unidos estão, respectivamente, em primeiro e em segundo lugares.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags