PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Rede social do Planalto desmente versão contada à CPI e mostra Bolsonaro em aglomerações

Nesta segunda, Planalto afirmou não ter registro do presidente em aglomerações durante a pandemia. Fotos da rede social Flickr mostram o presidente em evento pró-governo que reuniu centenas de apoiadores no último sábado, 15

Filipe Pereira
17:35 | 17/05/2021
Rede social do Planalto desmente versão contada à CPI e revela registros de Bolsonaro em aglomerações (Foto: Reprodução/Flickr)
Rede social do Planalto desmente versão contada à CPI e revela registros de Bolsonaro em aglomerações (Foto: Reprodução/Flickr)

O Palácio do Planalto afirmou, nesta segunda-feira, 17, não ter registros da presença do presidente Jair Bolsonaro em eventos que provocaram aglomerações e contrariam as recomendações sanitárias contra a doença. A resposta foi ao requerimento apresentado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que solicitou uma planilha com os registros de datas, locais e autoridades envolvidas nos passeios do presidente pelo Distrito Federal durante a pandemia. 

Contudo, não é o que revela a rede social de fotos Flickr do Palácio do Planalto. Nas publicações, o fotógrafo Clauber Cleber Caetano divulgou um álbum de fotos onde Bolsonaro aparece no "Ato do Movimento Brasil Verde e Amarelo na Esplanada dos Ministérios", realizado neste sábado, 15. 


 

Ato do Movimento Brasil Verde e Amarelo

Na data, o presidente reuniu centenas de apoiadores em ato pró-governo. O evento aconteceu na semana em que o Brasil ultrapassou a marca de 430 mil mortes pela pandemia de Covid-19. Na ocasião, pessoas se aglomeram à espera de um pedaço de carne em plena Esplanada dos Ministérios. Estiveram presentes produtores rurais ofereceram um churrasco aos participantes do ato “Eu autorizo, presidente”.

Durante seu discurso, ele chamou Lula de “bandido de 9 dedos” e disse que se as eleições de 2022 não tiverem voto auditável, o ex-presidente pode ganhar “pela fraude”.

Sem preocupação com o distanciamento social, pessoas formaram uma longa fila ao redor da churrasqueira montada entre dois caminhões, nas imediações do Congresso Nacional. Com máscaras no queixo, gritavam a palavra “mito” e frases em defesa do presidente