PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Tornozeleira eletrônica de Flordelis teve oito violações em apenas um mês

A deputado investigada por suspeita de envolvimento no assassinato do marido foi intimada a fazer uso do aparelho de monitoramento outubro do ano passado

09:44 | 08/04/2021

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teve oito violações na tornozeleira eletrônica utilizada para monitoramento desde outubro do ano passado. Todas as transgressões aconteceram no último mês de março, segundo o relatório da Central de Monitoração Eletrônica da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Entre as violações, a deputada deixou o aparelho desligado por mais de 13 horas. A prática configura-se como falta disciplinar de natureza grave.

Flordelis foi intimada a fazer uso do monitoramento eletrônico e compareceu à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap-RJ) no dia 8 de outubro do ano passado para instalar o aparelho. Poucos dias depois, ela chegou a exibir o dispositivo durante um culto em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

A deputada é acusada de ser a mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, executado a tiros no dia 16 junho de 2019. Ela nega as acusações. Até o momento, 11 pessoas foram denunciadas por envolvimento na ação, dentre elas, sete filhos e uma neta da deputada respondem pelo crime.

Flordelis não teve mandado de prisão provisória expedido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro em razão da imunidade parlamentar. No entanto, ela responde a um processo por quebra de decoro no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, que pode resultar na cassação do seu mandato. O Conselho foi fechado por conta da pandemia, mas pedido de reativação foi apresentado por membros da Mesa Diretora da Casa em setembro de 2020 para analisar o caso envolvendo a deputada.