PUBLICIDADE
Política
Noticia

"Bolsonaro está mais à direita do que Lula estava à esquerda em 89"

Novo episódio do podcast discute bloco de Ciro, PSDB, Huck e Mandetta, que busca espaço no centro, entre Lula e Bolsonaro

21:13 | 06/04/2021
Centro tenta quebrar possível polarização entre Bolsonaro e Lula nas eleições de 2022 (Foto: Reprodução)
Centro tenta quebrar possível polarização entre Bolsonaro e Lula nas eleições de 2022 (Foto: Reprodução)

Jogo Político #128: O Manifesto em defesa da democracia reuniu grupo de pré-candidatos a presidente da República. Ciro Gomes (PDT), Eduardo Leite (PSDB), João Amoedo (Novo), João Doria (PSDB), Luciano Huck e Luiz Henrique Mandetta (DEM) assinaram documento crítico ao presidente Jair Bolsonaro. E que também deixou de fora o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Ouça o podcast:

O bloco que começa a surgir busca impedir o provável segundo turno entre Bolsonaro e Lula. O PDT até sinalizou que pode tirar Ciro Gomes da disputa se houver outro nome mais forte para derrotar Bolsonaro. Depois, reafirmou a pré-candidatura.

Será que esse bloco vinga? E, se for adiante, será que consegue se impor entre Bolsonaro e Lula? Este é o tema do Jogo Político episódio 128. O centro consegue ser alternativa viável no Brasil polarizado.

E qual o tamanho dessa polarização? Lula está para a esquerda assim como Bolsonaro está à direita? O jornalista Érico Firmo discorda. "Bolsonaro está muito mais à direita do que Lula estava à esquerda em 89." Ele defende que muita gente apostou que, uma vez eleito, Bolsonaro iria moderar seu discurso, como aconteceu com o Lula.

O petista, em 2002, já era mais moderado que em 1989. No poder, moderou-se ainda mais, a ponto de ser fundado o Psol, uma dissidência do PT. Com Bolsonaro, muitos apoiadores se surpreenderam ao vê-lo ser o mesmo que havia sido ao longo de toda a carreira política.

Participam o editor-chefe de Opinião do O POVO e colunista, Guálter George, o repórter e colunista de Política Carlos Mazza e o editor de Cotidiano e colunista de Política, Érico Firmo.