PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Em audiência do Senado, Camilo reforça busca por vacina e sugere ação coordenada de combate à Covid-19

Governador destacou que o Brasil precisa de uma coordenação nacional para enfrentar pandemia, inclusive com a Organização Mundial da Saúde (OMS)

15:38 | 11/03/2021
Governador Camilo Santana se reúne com outros gestores e presidente do Senado Federa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) (Foto: Reprodução/Twitter)
Governador Camilo Santana se reúne com outros gestores e presidente do Senado Federa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) (Foto: Reprodução/Twitter)

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), participou nesta quinta-feira 11, de audiência pública remota com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e senadores que integram a Comissão Temporária da Covid-19 (CTCovid19). Durante três horas, o petista e outros quatro governadores avaliaram ações de enfrentamento à pandemia, como novas estratégias para acelerar a aquisição da vacina contra o coronavírus.

Em suas redes sociais, o governador afirmou que  reforçou a importância de uma coordenação nacional nesse enfrentamento à pandemia, a ser dividida em quatro pontos: celeridade na aquisição e distribuição de vacina aos estados; credenciamento de novos leitos; financiamento da saúde e ações sociais para ajudar o povo brasileiro, como a aprovação do auxílio-emergencial.

"Em função da gravidade da pandemia e o rápido aumento de casos e óbitos em todo o país, esse diálogo permanente com o Senado Federal é muito importante para realizarmos uma ação coordenada de combate à Covid no país”, afirmou Camilo. 

Durante pronunciamento, o chefe do Executivo cearense sugeriu um esforço nacional nas relações diplomáticas internacionais para acelerar a compra de vacinas contra a Covid. “Nós viramos um foco mundial pela quantidade de óbitos e a quantidade de casos. Portanto, para que a gente pudesse apressar a vinda de vacinas para o Brasil, seria importante um esforço das relações diplomáticas internacionais pelo presidente da República, pelo presidente do Senado, pelo presidente da Câmara", avaliou.

Acompanhado dos secretários Dr. Cabeto (Saúde) e Fernanda Pacobahyba (Fazenda), o governador defendeu ainda ser fundamental um esforço em conjunto à Organização Mundial da Saúde (OMS). "Eles estão muito preocupados com esse avanço da pandemia aqui no Brasil”, completou.

A audiência pública foi mediada pelo senador Confucio Moura (RO), presidente da CTCOVID19, e contou ainda com a participação dos governadores Wellington Dias (PI), Rui Costa (BA), Carlos Moisés (SC) e Wilson Lima (AM) e de 14 senadores, incluindo o cearense Tasso Jereissati (PSDB). Na ocasião, o presidente do Senado abordou os esforços para garantia da vacinação em massa. 

“Não é uma competição entre setor público e privado: é comunhão de vontades, é convergência, é união, é solidariedade. É disso que nós precisamos. Nós não precisamos saber de onde vem, desde que seja certificada a vacina; adquirida por quem for, nós temos que usá-la para vacinar, especialmente os mais vulneráveis, o grupo de risco, no Brasil, de maneira prioritária”, afirmou Pacheco.

Uma nova audiência pública da Comissão de Covid do Senado está marcada para a próxima segunda-feira, 15, e contará com a presença de outros governadores de Estado.