PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Para Doria, volta de Lula aumenta polarização e Centro precisará ter "bom senso"

Após o pronunciamento do ex-presidente Lula nesta quarta-feira, 10, em São Bernardo do Campo (SP), o perfil do PSDB publicou nas redes sociais que "o Brasil precisa urgente de uma terceira via!"

16:00 | 10/03/2021
Doria diz que São Paulo superou pior momento da pandemia  (Foto: Sergio Andrade)
Doria diz que São Paulo superou pior momento da pandemia (Foto: Sergio Andrade)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) afirmou que o retorno de Lula ao jogo político "muda a geografia eleitoral" da disputa para as eleições presidenciais de 2022.

"É uma situação completamente diferente do que a que tínhamos até agora (...) Ficam estabelecidos claramente dois campos adversos de polarização: a extrema esquerda e a extrema direita”, disse a coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Para o tucano, que deve acelerar processo de formalização de eventual candidatura à Presidência da República, Lula e Bolsonaro devem polarizar a disputa de 2022 com "cerca de 30% dos votos (cada)". Com isso, segundo ele, “cerca de 40% dos eleitores vão escolher um candidato longe dos extremos".

"Se o centro democrático tiver juízo e bom senso, trabalhará para, em primeiro lugar, construir uma proposta para o Brasil", afirmou o governador, ressaltando a necessidade de uma candidatura que possa “disputar com duas personalidades (Lula e Bolsonaro) com forte densidade política e eleitoral”.

Após o pronunciamento do ex-presidente Lula nesta quarta-feira, 10, em São Bernardo do Campo (SP), o perfil do PSDB publicou nas redes sociais que "o Brasil precisa urgente de uma terceira via!".

"Lula mostrou seu lado estatizante e retrógado na fala de hoje. Mostrou-se contra as privatizações, contra a modernização do estado. Quer de volta a receita de Dilma que jogou os brasileiros numa profunda crise da qual até hoje não nos recuperamos. Do outro lado temos Bolsonaro com sua gestão caótica da pandemia, aposta no conflito eterno na sociedade e falso liberalismo. Assim como Lula e o PT, é intervencionista na Petrobras", lê-se na imagem publicada.

Entre os tucanos, os governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, são nomes cotados na legenda para o pleito presidencial que se avizinha.