Participamos do

Negociação entre prefeitura e servidores não avança e entidades pedem encontro com Sarto

Em nota, o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) pediu encontro com o Prefeito e a retirada de pauta das matérias sobre a previdência na Câmara de Fortaleza (CMFor)
16:07 | Fev. 22, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A tentativa de negociação realizada nesta segunda-feira, 22, entre entidades sindicais e Prefeitura de Fortaleza para tratar da emenda sobre da reforma da Previdência municipal não teve avanços após reunião realizada da Mesa Central de Negociação, no Paço Municipal. O encontro foi realizado por meio de videoconferência e contou com a presença do o líder da Prefeitura na Câmara de Fortaleza, Gardel Rolim.

Representando o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), participam a presidente Nascelia Silva e a vice, Ana Miranda. Pela Prefeitura, estiveram presentes os secretários Flávia Teixeira (Sefin), Marcelo Pinheiro (Sepog), Fernando Oliveira (PGM), Josué de Sousa (IPM), Cristina Machado (Controladoria e Ouvidoria Geral do Município), Ésio Feitosa (Coordenadoria Especial de Articulação Política) e o assessor especial da Secretaria de Governo, Philipe Nottingham.

Em nota divulgada nas redes sociais, o Sindifot afirmou que os secretários municipais expuseram o problema do deficit atuarial do IPM e a necessidade de fazer a reforma. "Segundo os mesmos, o projeto concreto que trata da reforma previdenciária traz mais de 50 artigos e ainda está em fase de finalização", afirmou. 

As dirigentes da entidade sindical afirmaram ser "inviável fazer tal debate de forma apressada e sem negociação com os servidores, como vem ocorrendo" e cobraram que o projeto seja retirado de pauta da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor). Também foi solicitado outro debate e negociação sobre o mesmo tema, porém, com a participação do prefeito José Sarto (PDT).

O sindicato reforçou também que pretende continuar a mobilização contra a reforma previdenciária, pela garantia do reajuste salarial de 4,52% e dos demais pontos de pauta da campanha salarial 2021. Segundo Rolim, a ideia é que a próxima rodada de negociações aconteça ainda nesta semana. “Foram duas solicitações, que o prefeito os receba e a retirada de pauta das matérias. Estamos cuidando para atender dentro do possível a solicitação”, disse o parlamentar.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Sobre o retorno da tramitação da previdência municipal na CMFor, suspensa semana passada pela Justiça, o vereador afirmou que o foco agora é o diálogo com as entidades sindicais.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags