PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Prefeito eleito de Goiânia segue internado e sedado no Hospital Albert Einstein

Vilela, de 71 anos, testou positivo para o coronavírus em 20 de outubro, antes do primeiro turno das eleições 2020, e dias depois soube que estava com até 75% do pulmão inflamado por ação do vírus

10:01 | 26/12/2020
Entrada principal do hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde o prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela, permanece internado desde o final de outubro com quadro grave de Covid-19 (Foto: rahel patrasso/agência brasil)
Entrada principal do hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde o prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela, permanece internado desde o final de outubro com quadro grave de Covid-19 (Foto: rahel patrasso/agência brasil)

Prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), continua internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde está desde 27 de outubro, antes mesmo do primeiro turno das eleições municipais, para tratar complicações decorrentes da covid-19. Ele tem 71 anos.

Segundo o boletim médico mais recente, Vilela "segue com quadro estável, sedação leve, traqueostomizado e em pressão de suporte", isto é, fazendo uso de ventilador mecânico. A nota ainda informa que o político está "respondendo aos estímulos e com níveis de oxigenação satisfatórios, em diálise e reabilitação."

O jornal O Globo informou que o médico que acompanha Vilela, Marcelo Rabahi, está trabalhando na redução gradual da sedação, e que quando o prefeito eleito desperta, consegue controlar o ventilador mecânico por até uma hora. Ele chegou a ser transferido para um leito comum de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) depois que testou negativo para covid-19, no início de dezembro, mas na sequência apresentou sangramento nos pulmões e teve de passar por cirurgia.

LEIA TAMBÉM | Prefeito eleito de Goiânia passa por cirurgia em São Paulo

Ainda segundo o jornal, Vilela testou positivo para o coronavírus em 20 de outubro, e dias depois soube que estava com até 75% do pulmão inflamado por ação do vírus. Semanas antes, duas de suas irmãs, de 82 e 76 anos, morreram por covid-19 em um intervalo de menos de 10 dias.

Quando foi eleito no segundo turno com quase 280 mil votos, Vilela não soube do resultado, pois estava sedado.