Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Justiça Eleitoral do Ceará já se prepara para pleito eleitoral de 2022 com foco na desinformação

Segundo, o órgão o maior desafio deve ser a desinformação
13:25 | Dez. 01, 2020
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Apenas dois dias após o segundo turno das eleições, o Tribunal Regional Eleitoral já se prepara para o pleito eleitoral de 2022. Em coletiva na manhã desta terça-feira, 1º, o órgão informou que será feita uma analise com os responsáveis pelas zonas eleitorais, além de outros profissionais, ainda hoje e desde já um dos focos é combater a desinformação, que foi destaque em 2018 e se repetiu neste ano. 

"Hoje nós damos o pontapé inicial para as eleições 2022", afirmou Edna Saboia, coordenadora de eleições do TRE. Entre os pontos que devem ser levados em pauta na avalição, está a uniformização das equipes no dia das eleições. 

LEIA MAIS: Mais de 264 mil eleitores que não fizeram biometria voltam a ter título cancelado

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Nós teremos um problema, que foi enfrentado em 2020 e que deve se repetir em 2022, que é a desinformação. O grande projeto da Justiça Eleitoral que já começa agora é tentar informar o eleitor", explicou a coordenadora. O foco deve ser no funcionamento das urnas eletrônicas, bem como outro detalhes para um fluxo tranquilo no período.

LEIA MAIS: Bolsonaro volta a defender voto impresso

No começo de novembro, o presidente Jair Bolsonaro voltou a lançar dúvidas, sem apresentar provas, sobre a regularidade das eleições feitas com urnas eletrônicas. "Você fica na dúvida. Não pode ter dúvida", disse Bolsonaro a apoiadores, ao defender o voto impresso um dia após o primeiro turno.

Estão previstas palestras em escolas e a divulgação de informações corretas por meio dos veículos de comunicação e de agências de checagem. Segundo Saboia, o objetivo é que, à medida em que as notícias falsas forem aparecendo logo sejam corrigidas. "Essa vai ser a grande bandeira da Justiça Eleitoral para 2022, de atuar na informação do eleitor", completou.

Com informações de Rose Serafim

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags