PUBLICIDADE
Política
Noticia

Após má votação em Fortaleza, PCdoB apoia Sarto e fará "reflexão" de rumos

Adesão ao PDT ocorre após o PCdoB ter seu pior desempenho na disputa em Fortaleza desde a redemocratização

Carlos Mazza
13:10 | 18/11/2020
Anizio e membros do PCdoB entregaram propostas do partido para Sarto (Foto: Divulgação)
Anizio e membros do PCdoB entregaram propostas do partido para Sarto (Foto: Divulgação)

O PCdoB oficializou nesta quarta-feira, 18, apoio à candidatura de José Sarto (PDT) no segundo turno em Fortaleza. A adesão ocorreu em evento no comitê central da campanha pedetista, com participação do candidato derrotado da legenda, Anizio Melo.

“Entregamos nossa pauta, nossa plataforma de propostas para Fortaleza”, destaca Anizio. “Apoiamos pois entendemos que é necessária uma unidade ampla por todos os partidos progressistas, porque há no 2º turno um perigo real, objetivo, de uma proposta retrógrada, que tem cultivado o espaço da violência, da mentira”, diz, em referência a Capitão Wagner (Pros).

Adesão ocorre após o PCdoB ter seu pior desempenho na disputa em Fortaleza desde a redemocratização. O partido, que vinha elegendo pelo menos um vereador na Câmara Municipal desde 1992, não conseguiu reeleger Evaldo Lima e somou apenas 17,5 mil votos na disputa do Legislativo. Já Anizio ficou em 8º colocado, com apenas 2,2 mil votos.

“O processo em Fortaleza acabou sendo hegemonizado pelo bolsonarismo, pelo lulismo e pelo cirismo. Essa tripolarização acabou nos trazendo um prejuízo enorme, porque fomos ‘sugados’ no meio dessa disputa entre Luizianne, Sarto e Capitão. Com a pandemia, candidaturas que precisavam de contato direto com a periferia também foram mais prejudicadas”, diz Anizio.

“Tivemos uma derrota, uma grande perda, que foi a não reeleição do camarada Evaldo, mas entendemos que fomos a campanha que mais fez contato direto com a população. A prioridade agora é derrotar o candidato do bolsonarismo, mas, depois desse processo, faremos uma reflexão para ver os rumos do PCdoB, que de imediato não vai deixar de fazer a luta”.

Anizio nega ainda ter sido “candidato laranja” de José Sarto, como foi acusado por Capitão Wagner durante debate no 1º turno. “Quem entende de laranja é ele e o presidente dele. Capitão é um Bolsonaro 'slim', é uma tapioca, tem virado de lado de acordo com as circunstâncias, e bota o projeto pessoal dele acima de tudo e de todos. Ele não me conhece, nunca tive cargo nenhum”.